icons.title signature.placeholder Fábio Aleixo e Fellipe Lucena
03/07/2014
08:04

Mario Yepes, 38 anos, carregava a decepção de nunca ter disputado Copas do Mundo até liderar, como capitão, a seleção colombiana de melhor desempenho em um Mundial: a atual, que levou o país pela primeira vez às quartas de final e nesta sexta disputa com o Brasil uma vaga na semi. O zagueiro do Atalanta (ITA), conhecido como "El Rey", está acostumado a quebrar jejuns em grande estilo.

Em 2001, fez parte da equipe que conquistou o único título da história da Colômbia: a Copa América disputada em casa. Dois anos depois, marcou seu primeiro gol pela seleção na campanha que terminou com o quarto lugar na Copa das Confederações. Demorou, mas saiu em um fantástico voleio de fora da área. Em 1999, já havia ajudado o River Plate a conquistar o Campeonato Argentino que impediu o tri do rival Boca.

É hora de quebrar outro tabu incômodo. No Castelão, terá de superar a Seleção Brasileira pela primeira vez na carreira para não manchar um jogo especial: com 102 aparições, vai se isolar como segundo atleta que mais vestiu a camisa da Colômbia, atrás apenas do lendário Carlos Valderrama, com 111.


Yepes comemora com companheiros gol de James (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

Yepes acumula seis jogos contra o Brasil, o primeiro em 2000 e o último em 2012, todos como titular: são duas derrotas e quatro empates. Também é "freguês" de Luiz Felipe Scolari, já que defendia o Deportivo Cáli (COL) derrotado pelo Palmeiras na final da Libertadores de 1999.

Chamado de Capitão Jack Sparrow pela semelhança com o personagem interpretado por Johnny Depp no filme Piratas do Caribe, Yepes é o único titular com mais de 30 anos na jovem equipe de José Pekerman, cujo destaque é o prodígio James Rodríguez, de apenas 22. Mais velho que ele, só Mondragón, goleiro reserva que está com 43 anos e é o único jogador do grupo atual que foi à Copa de 98, a última do país.

- Alcancei o objetivo de estar no Mundial, e muitos dos que lutaram comigo não puderam estar comigo. Sou um jogador experiente, mas me vejo exatamente como vejo meus companheiros - disse o defensor, dono da braçadeira desde 2008.

Freguês do Felipão

Campeão colombiano em 1998 pelo Deportivo Cáli, Yepes era uma das referências do time que chegou à final da Libertadores do ano seguinte. Do outro lado, estava o Palmeiras de Luiz Felipe Scolari. No jogo de ida, em casa, os colombianos venceram por 1 a 0. Na volta, reação verde: 2 a 1 no Palestra Itália e triunfo por 4 a 3 nos pênaltis. No mesmo ano, foi para o River Plate e ganhou o título argentino.

Título inédito

Yepes foi titular no histórico título da competição continental, disputada na Colômbia. O Brasil de Luiz Felipe Scolari poderia ter cruzado com os anfitriões na semifinal, mas foi eliminado por Honduras nas quartas. Melhor para os colombianos, que bateram os hondurenhos por 2 a 0 e fizeram a final contra o México: outro triunfo, desta vez por 1 a 0, e o único título da história.

QUEM É ELE:

NOME
Mario Alberto Yepes

NASCIMENTO
13/1/1976 - Cáli, Colômbia

CLUBES
Cortuluá (COL), Deportivo Cáli (COL), River Plate (ARG), Nantes (FRA), PSG (FRA), Chievo Verona (ITA), Milan (ITA), Atalanta (ITA).

TÍTULOS
Campeão colombiano pelo Deportivo Cáli (1998), bicampeão argentino pelo River (1999 e 2000), Copa da França (2006) e Copa da Liga pelo PSG (2007/2008), campeão italiano (2010/11) e da Supercopa da Itália (2011) pelo Milan e campeão da Copa América pela seleção (2001).