icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
15/11/2014
08:05

Se quebrar o jejum de 20 jogos sem superar o São Paulo no Morumbi, neste domingo, o Palmeiras vai se livrar de outras duas marcas incômodas: não terminará o Brasileirão sem vencer clássicos e não igualará o péssimo aproveitamento de 2012, pior temporada do clube contra rivais desde 1962.

Dos oito clássicos desta temporada, o Verdão venceu apenas um: justamente contra o São Paulo, pelo Paulistão. Nos outros sete, acumula cinco derrotas e dois empates, com aproveitamento de 20,8% dos pontos disputados no total. Em caso de derrota no estádio tricolor, esse número vai cair para 18,5% e a campanha ficará exatamente igual à de 2012, ano marcado pelo rebaixamento à Série B.

É o pior desempenho desde 1962, quando o aproveitamento contra os rivais foi de míseros 11,1%, com um vitória, um empate e dez derrotas.
Em 2003, o índice foi só de 16,6% dos pontoss, mas o clube disputou só dois clássicos, ambos contra o Corinthians (empate e derrota).

Em 14º lugar e a cinco pontos do primeiro time da zona da degola, o Palmeiras só conquistou um ponto diante dos maiores inimigos do Estado no Brasileirão, no empate por 1 a 1 com o Corinthians, no Pacaembu. Nos outros cinco duelos, só derrotas (duas para o Santos, uma para o Corinthians e uma para o São Paulo).

- O Palmeiras cometeu erros ao longo de todo o campeonato, é natural ter tirado possibilidade de bons resultados (nos clássicos). O Palmeiras tem que melhorar, uma equipe grande não pode deixar de estar brigando de igual para igual - disse o técnico Dorival Júnior, que não conseguiu vencer nem o Santos (1 a 3) e nem o Corinthians (1 a 1) pelo clube.

Ele pode entrar para a história ao derrubar a incômoda escrita no Morumbi. A última vitória do Palmeiras contra o São Paulo no local foi em março de 2002, por 4 a 2, no jogo que ficou marcado pelo golaço de Alex com direito a chapéu em Ceni. De lá para cá, os são-paulinos venceram 12 vezes e houve empate em oito ocasiões. O técnico do Verdão não acredita só em "fator casa".

- Se aconteceram esses resultados, não foi pelo campo em si. Lógico que é a casa do São Paulo, mas não que seja o diferencial. O que vai definir a sorte será a postura dos jogadores, a intensidade, a maior vontade de uma ou outra equipe - disse.

MELHORA, VERDÃO!

2014
No Paulistão, o time venceu o São Paulo por 2 a 1, ficou no 1 a 1 com o Corinthians e perdeu para o Santos por 2 a 1.  No Brasileiro, perdeu as duas para o Santos (2 a 0 e 3 a 1), faturou um ponto contra o Corinthians (0 a 2 e 1 a 1) e perdeu para o São Paulo (2 a 1). Nova derrota derrubará índice para 18,5% de aproveitamento.

2012
A campanha de dois anos atrás pode ser igualada. No Paulista, o Verdão fez 2 a 1 no Santos, empatou por 3 a 3 com o São Paulo e tomou 2 a 1 do Corinthians. No Brasileiro, duas derrotas para o Santos (2 a 1 e 3 a 1), um ponto somado contra o São Paulo (1 a 1 e 0 a 3) e mais duas derrotas para o Corinthians (2 a 1 e 2 a 0). Aproveitamento de 18,5%.

2003
Pior índice do século, mas com dois clássicos em todo o ano: empate por 2 a 2 e derrota por 4 a 2 na semi do Paulista, contra o Corinthians. Só 16,6%.

1962
Time fez 12 clássicos naquele ano. Perdeu três vezes do Santos, cinco do São Paulo e duas do Corinthians. Empatou com o São Paulo e venceu uma, contra o Corinthians: 11,1%.