icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/07/2014
00:47

O Palmeiras enviou um comunicado a Valdivia, pedindo que o meia se reapresentasse, diante do imbróglio do atleta com o Al Fujairah (EAU). O clube ainda espera uma resposta. De acordo com o diretor-executivo do Verdão, José Carlos Brunoro, nem o meia nem os árabes explicaram o impasse, já que para o Alviverde a transferência estava bem encaminhada.

- Nós estamos aguardando, não tivemos resposta do clube e nem dele. Ele foi vendido, tem os contratos, essas coisas todas. Estamos aguardando - falou o dirigente, após o triunfo sobre a Fiorentina (ITA), nesta quarta-feira, no Pacaembu, pela Copa EuroAmericana.

Diante do silêncio das partes, Brunoro não quis se aprofundar sobre o assunto, alegando não ter as informações do problema. O Mago viajou aos Emirados Árabes, conheceu o novo clube, vestiu a camisa e até posou para fotos. No entanto, o próprio Al Fujairah, que pagaria R$ 16,6 milhões (R$ 10,5 milhões ficariam com o Verdão) enviou um documento ao Palmeiras informando que surgiram entraves na negociação.

- Vamos ver o que aconteceu em primeiro lugar. Não tem resposta, não podemos falar - acrescentou.

Depois da ida aos Emirados, o jogador seguiu com sua família para os Estados Unidos e tornou-se incomunicável. Nem seu empresário, Wagner Ribeiro, nem seus pais conseguem contatá-lo.

Como o contrato não foi rescindido, foi o Verdão quem pagou os salários de julho. Se o chileno disser que continua negociando com os árabes e pode chegar a um acordo em breve, será liberado por mais alguns dias. Desta vez, porém, o Palmeiras estipularia um prazo para o fim das tratativas.