icons.title signature.placeholder Daniel Hippertt
24/04/2014
19:05

O clima esquentou no Santa Cruz. Nesta quinta-feira, aproximadamente 100 torcedores invadiram o clube para protestar pelos resultados recentes. Alguns deles adentraram o vestiário coral para fazer cobranças a jogadores e diretoria. O Tricolor foi eliminado pelo Sport na Copa do Nordeste e no Campeonato Pernambucano, incitando a ira da torcida.

O atacante Flávio Caça-Rato, uma das referências da equipe, falou à reportagem do LANCE!Net sobre o ocorrido. O jogador tentou colocar panos quentes sobre a situação, mas admitiu que a postura dos torcedores não é correta. Segundo ele, ninguém foi agredido na ocasião, e os maiores cobrados foram membros da cúpula tricolor.

- Tinha acabado de entrar e a torcida estava lá xingando. Comigo não teve nada, os torcedores conhecem meu trabalho. A gente conseguiu treinar, mas ouviu os gritos de "queremos jogador". O torcedor fica chateado por conta das eliminações, mas nós também estamos tristes. Eles estão no direito de cobrar, mas não podem invadir o clube assim. Isto é errado - revelou Caça-Rato ao L!Net

Os torcedores pedem mudanças imediatas dentro de campo, mas o maior foco dos xingamentos foi direcionado ao presidente Antônio Luiz Neto e ao gestor de futebol, Sandro Barbosa.

Em entrevista ao "Superesportes", o mandatário coral não responsabilizou as organizadas do clube pelo ocorrido. Os membros das uniformizadas têm livre acesso ao clube. Mesmo diante do tumulto, Neto - que teve o carro cercado e foi ameaçado -, afirma que a relação clube-organizadas não sofrerá alterações.

- Não associo uma coisa com a outra. Esse grupo de torcedores que invadiu o Arruda é formado por pessoas desconhecidas. Nenhum foi identificado como membro da diretoria das organizadas. Foi um grupo de adolescentes mau acostumados com as nossas vitórias nos últimos três anos e por conta da faixa etária talvez não estejam preparados para saber que no futebol não se vence sempre - minimizou o presidente.