icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro e Thiago Fernandes
icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro e Thiago Fernandes
10/07/2013
20:54

Duas horas antes do confronto decisivo, o Independência, por dentro, era todo do Newell's. Mas a expectativa da torcida do Atlético-MG é que os 2,2 mil argentinos saíssem do Horto calados após uma sonhada vitória de três gols ou mais de diferença. Do lado de fora, pequenos símbolos representavam o otimismo do Alvinegro.

Para quem se acostumou a ver as horas que antecedem partidas do Atlético na Libertadores, havia até uma certa tranquilidade da torcida do Galo, principalmente na Rua Pitangui, onde entra a maioria dos torcedores brasileiros. O que mais chamou a atenção foi um grupo de torcedores com a faixa 'Yes, We CAM', outro cartaz 'Eu tenho certeza' e um caixão rubro-negro com as iniciais N(ewell's) O(ld) B(oys).

Uma dupla de instrumentistas puxou o coro da torcida, que começou a cantar o Hino do clube, recheado de palavras de incentivo para uma situação como essa. Houve o uso de fogos de artifício, o que poderia ser explicado como artefatos restantes da noite em claro que a Massa promoveu para a delegação leprosa no Hotel Ouro Minas, na madrugada passada.

Na chegada da delegação do Newell's, houve arremesso de objetos e os argentinos nem ligaram, mostrando um sorriso na cara. Os atletas foram ao campo para conhecer, pela primeira vez, o gramado do Independência. Já os jogadores do Galo chegaram com traquilidade, tento Réver entre seus componentes.

Duas horas antes do confronto decisivo, o Independência, por dentro, era todo do Newell's. Mas a expectativa da torcida do Atlético-MG é que os 2,2 mil argentinos saíssem do Horto calados após uma sonhada vitória de três gols ou mais de diferença. Do lado de fora, pequenos símbolos representavam o otimismo do Alvinegro.

Para quem se acostumou a ver as horas que antecedem partidas do Atlético na Libertadores, havia até uma certa tranquilidade da torcida do Galo, principalmente na Rua Pitangui, onde entra a maioria dos torcedores brasileiros. O que mais chamou a atenção foi um grupo de torcedores com a faixa 'Yes, We CAM', outro cartaz 'Eu tenho certeza' e um caixão rubro-negro com as iniciais N(ewell's) O(ld) B(oys).

Uma dupla de instrumentistas puxou o coro da torcida, que começou a cantar o Hino do clube, recheado de palavras de incentivo para uma situação como essa. Houve o uso de fogos de artifício, o que poderia ser explicado como artefatos restantes da noite em claro que a Massa promoveu para a delegação leprosa no Hotel Ouro Minas, na madrugada passada.

Na chegada da delegação do Newell's, houve arremesso de objetos e os argentinos nem ligaram, mostrando um sorriso na cara. Os atletas foram ao campo para conhecer, pela primeira vez, o gramado do Independência. Já os jogadores do Galo chegaram com traquilidade, tento Réver entre seus componentes.