icons.title signature.placeholder Enrico Bruno
05/06/2014
22:16

Há 32 anos morando no Brasil, Alonso Pérez foi um dos torcedores presentes no aeroporto de Confins nesta noite de quinta-feira. O chileno de Concepción, assim como outros pouco mais de 15 torcedores presentes, não teve a chance de ver os jogadores da Roja desembarcarem no saguão, mas, aos gritos de 'Viva Chile' mostrou seu entusiasmo para ver o Chile na capital mineira.

- Vivo há 32 anos no Brasil e estou com uma expectativa muito grande para essa Copa do Mundo. Quero que a seleção se sinta bem em nosso país. A primeira fase é como um grupo da morte, mas vamos ver. Tenho esperança de que vamos fazer bonito - falou o torcedor.

Em uma seleção com nomes conhecidos como Vargas, Aranguiz, Valdívia e Matías Fernandes, dentre outros, Alonso apontou seus dois jogadores que mais despertam confiança para superar a Holanda, Espanha e Austrália no grupo B. Um vem do Barça e o outro do da Juventus.

MAIS:
> Discreto e com atraso, Chile desembarca em BH

- O Vidal e o Alex Sánchez certamente são os jogadores que mais nos dão segurança de poder chegar aqui e alcançar bons resultados - disse.

Torcedor da La U e do Cruzeiro, Alonso não escondeu a felicidade em ver a seleção do seu país hospedada no centro de treinamento do time em que aprendeu a amar em Belo Horizonte.

- Eu sou cruzeirense. Então o Chile ficando na Toca da Raposa representa uma felicidade dupla. O Cruzeiro é um grande equipe, por isso estou muito feliz pela hospedagem da seleção chilena nas suas acomodações - finalizou Alonso.