icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/03/2014
17:44

Em seu retorno às competições oficiais após seu desligamento do UFC, Rousimar Palhares encara neste sábado, em Las Vegas (EUA), o norte-americano Steve Carl, em luta válida pelo cinturão dos meio-médios (77kg), na nona edição do WSOF (World Series of Fighting). Aos 34 anos, o atleta do Team Nogueira, que já estreia no evento com a possibilidade de conquistar o título da divisão, acumula 15 vitórias e seis derrotas em seu cartel, enquanto seu adversário, atual campeão da categoria, detém uma trajetória profissional de 21 vitórias e apenas três derrotas.

Após ficar aproximadamente seis meses afastado dos cages – sua última luta aconteceu em outubro de 2013, quando finalizou Mike Pierce no UFC Fight Night 29 -, Toquinho reage com tranquilidade ao falar sobre sua volta oficial ao MMA e faz questão de enaltecer o alto nível do WSOF, evento que o contratou em novembro de 2013.

- Desde o início da minha carreira como profissional nunca saí do MMA, então não sinto como um retorno, estou fazendo o que faço todos os dias. Estou me sentindo muito bem treinado, com todo o suporte da minha equipe, então minha expectativa é fazer uma grande luta no WSOF, que tecnicamente é um dos maiores eventos de MMA do mundo, com grandes atletas. Vai ser um desafio bacana - afirmou.

Há cerca de duas semanas nos Estados Unidos, onde foi submetido aos exames pré-luta exigidos pela Comissão Atlética local, o mineiro, natural de Dores do Indaiá (MG), não se mostrou incomodado pelo aviso tardio e, também, agradeceu ao lutador Wanderlei Silva pelo espaço cedido para sua aclimatação e finalização de camp em Vegas.

- Só tenho a agradecer a Comissão Atlética, encaro todo esse processo dos exames como uma feliz oportunidade de mostrar a todos que eu estou limpo. Sou uma pessoa muito correta na minha vida, quem convive comigo sabe disso. Realmente eu fui avisado muito em cima da hora e tive que correr para o EUA de uma hora para outra, mas prefiro ver o lado bom disso tudo, pude fazer a minha aclimatação com mais tempo, agradeço ao Wanderlei Silva, de quem eu sou fã, por ter me cedido a sua academia para eu terminar o meu camp nesses dias extras no EUA - declarou.

Confiante em mais um resultado positivo, Toquinho, que possui 12 vitórias por finalização, pregou respeito ao seu próximo oponente, mas mostrou-se com muita vontade de vencer e levar o cinturão da categoria para o Brasil.

- Meus treinadores estudaram muito meu adversário, é um grande atleta. É o campeão, merece todo o meu respeito. Tenho dentro de mim que esse cinturão virá com muito esforço, irei dar a minha vida lá dentro. Independente da forma que possa vir a vitória, para mim o que importa é que irei estar lutando em nome de todos que nunca me abandonaram, quero representar todos que acreditam no meu trabalho e que me conhecem de verdade. O Team Nogueira me proporciona tudo que eu preciso, treinadores de alto nível e excelentes companheiros de time que me puxam todo dia. Eu abdiquei da minha vida para esse esporte. Posso treinar o dia inteiro, pois eu amo o que eu faço - concluiu.