icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/03/2014
12:37

O Corinthians vai ter de pagar os cerca de R$ 60 milhões extras para as estruturas temporárias, consideradas obrigatórias pela Fifa para a Copa do Mundo de 2014. Elas se referem aos centros de mídia, de voluntários e de credenciamento, às tendas e aos detectores de metais, entre outros.

Ex-presidente do clube e administrador da Arena Corinthians, Andrés Sanchez afirma que está procurando parceiros na iniciativa privada para bancar os custos, já que os governos Federal e Estadual, a Prefeitura, a Fifa e o COL decidiram não pagar a conta.

– É o Corinthians que vai pagar. Estamos buscando parceiros na iniciativa privada para fechar essa conta. Perto do que era, o valor diminuiu muito. Não veio o orçamento ainda, mas não passa de R$ 60 milhões – afirmou Andrés Sanchez.

A polêmica sobre quem assume esses gastos acontece porque há dois contratos conflitantes assinados pelos clubes proprietários de arenas utilizadas na Copa do Mundo – casos de Corinthians, Internacional e Atlético-PR (veja abaixo).

L!TV acompanha o primeiro treino do Corinthians no novo estádio

No Mundial, serão utilizados quatro mil lugares provisórios, por exemplo. Posteriormente, apenas 300 aproximadamente. Tais estruturas precisam estar prontas a tempo de a Fifa assumir o controle dos estádios, previsto para 15 de maio, no caso do estádio do Corinthians.

Em tempo: as arquibancadas provisórias não fazem parte dessa estrutura provisória. Ela custará cerca de R$ 40 milhões e será paga por um consórcio capitaneado pela Ambev.

As contradições dos contratos assinados pelos clubes proprietários de estádios na Copa do Mundo

Host City Agreement - Contrato da sede

O trato, assinado por representantes da Fifa, do Comitê Organizador Local da Copa (COL) e das cidades, prevê, em um de seus artigos que a “sede deverá cooperar completamente e auxiliar a Fifa e o COL na provisão de todas as exigências de infraestrutura para os estádios, para facilitar seu uso.” O que está descrito em relação à infraestrutura temporária dos estádios é também extensivo ao que será necessário para o Campo Oficial de Treinamento (COT).

Stadium Agreement - Contrato de estádio

Este contrato foi assinado pelos clubes-proprietários, membros do Comitê Organizador Local e Fifa. Segundo uma das cláusulas do texto, o dono do estádio “concorda e reconhece que qualquer infraestrutura, equipamento e instalação que não estão disponíveis na infraestrutura do estádio, bem como quaisquer atualizações ou mudanças na infraestrutura do estádio existente que precisam ser implementadas em caráter temporário para as competições devem ser implementados pela autoridade do estádio, com custos sob sua responsabilidade”.