icons.title signature.placeholder Bruno Andrade e Felipe Bolguese
28/11/2014
06:30

Diretoria do Corinthians e representantes de Guerrero marcaram para hoje, no CT Joaquim Grava, uma reunião para discutir a renovação de contrato do jogador, que acaba em julho de 2015. Apesar de haver discordâncias nos valores de luvas, as partes não descartam que a novela possa ser encerrada após este encontro.

Recentemente, o camisa 9 passou a ter a carreira agenciada pela OTB Sports, braço da empresa Think Ball, cujo embaixador é o holandês Clarence Seedorf. A Internazionale (ITA) demonstrou interesse e já fez uma consulta aos agentes. Sem querer gastar com transferência, prefere a opção de fazer um pré-contrato no começo de 2015 e pagar luvas gordas. A intenção do lado do peruano é que estes valores – que não são divulgados – sejam ao menos igualados.

Já o Corinthians aceitou fazer um contrato de três anos, que valeria de julho de 2015 a julho de 2018. Após uma pedida de luvas em US$ 7 milhões (R$ 17,8 milhões), o clube aceitou pagar até US$ 4 milhões (R$ 10,2 milhões), sendo uma parte à vista e o restante parcelado, com o salário na casa de R$ 500 mil mensais, estipulado como teto.

Cláusulas com ganhos extras como premiações por metas não estão descartadas, uma vez que os valores oferecidos, apesar de considerados altos para os padrões brasileiros, estão abaixo do que grandes clubes europeus podem pagar.

Guerrero já declarou que quer ficar no Timão, mas não descarta voltar para a Europa. No entanto, nenhuma das partes acredita que ele deixará o clube. As últimas conversas avançaram em relação às preliminares e os detalhes financeiros estão sendo alinhavados. Na última terça-feira, o jogador chegou a dizer que o Timão poderia fazer o contrato que ele gostaria.

Carlos Leite e Wagner Ribeiro conversaram com peruano

Sem representante neste ano, Paolo Guerrero “garimpou” até fechar com a OTB Sports. Nas últimas semanas, os empresários Wagner Ribeiro e Carlos Leite foram chamados para reuniões com o atacante peruano, que preferiu outros agentes.

O camisa 9 chegou ao Timão em julho de 2012 por intermédio do empresário Luiz Carlini, que representa o meia Alex, hoje no Internacional. Carlini não o conhecia, mas foi designado pela diretoria na época a fechar o negócio com o Hamburgo (ALE).

Depois, ainda sem empresário, Guerrero utilizava os serviços do advogado peruano Miguel Valladares, que já representava sua família. Valladares, no entanto, não tem experiência no futebol e então acabou trocado.

Por fim, Guerrero escolheu o amigo peruano José Carlos Zegarra para tratar de suas questões profissionais. Procurados, eles aceitaram a parceria com a OTB, que é braço esportivo da Think Ball, que no Corinthians cuida das carreiras de Bruno Henrique e Jadson. Os empresários Bruno Paiva e Marcelo Goldfarb posaram com Zegarra e Guerrero, que postou a foto nas redes sociais para “deixar claro quem o representa”.

A EMPRESA
OTB Sports, braço da Think Ball & Sports Consulting

Quem participa
Os empresários Bruno Paiva, Marcelo Goldfarb e Marcelo Robalinho – o último fica em escritório com sede na Europa.

Clientes
O holandês Clarence Seedorf, ex-jogador e atualmente na carreira de treinador, representa a empresa como embaixador. O lutador de MMA Vitor Belfort é outro cliente.

No Timão
A Think Ball agencia as carreiras de Jadson e Bruno Henrique.

Duas ofertas recusadas

Nesta temporada, a diretoria alvinegra já recusou uma proposta do futebol chinês, de 6 milhões de euros (cerca de R$ 18 milhões) e outra por empréstimo do West Ham (ING). Outro inglês, o Southampton, também chegou a se interessar, mas não passou de sondagem. O próprio camisa 9 já admitiu diversas vezes que gostaria de voltar para a Europa e que este será o seu destino caso ele e seus agentes não entrem em acordo com a diretoria.