icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/02/2015
17:42

O Corinthians espera manter o elenco até o fim da disputa da Copa Libertadores. Depois, um novo ciclo se iniciará e a tendência é que jogadores titulares sejam negociados. Conforme revelou o LANCE!Net, o zagueiro Gil é a maior aposta do clube para fazer caixa em 2015. Além dele, Jadson também pode sair para o futebol chinês. O empresário do jogador, Bruno Paiva, promete uma oferta satisfatória.

- Conversei com os representantes do Jadson. A proposta oficial não chegou ao clube. Ele (Paiva) manifestou que tem um clube chinês que quer levá-lo. Eu disse que antes do término da Libertadores não tem nem conversa. Vamos aguardar a proposta, para ver se os valores estão de acordo, mas só depois da Libertadores ele poderá sair - disse o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, na coletiva de apresentação do novo diretor de futebol, Sérgio Janikian.

De acordo com a "Rádio Transamérica", o clube interessado é o Jiangsu Sainty (CHN), que gostaria de contar com o meia já neste momento. O contrato com o Corinthians vai até 31 de dezembro deste ano. O clube detém apenas 30% dos direitos econômicos, e afirma que a multa é 5 milhões de euros (R$ 16,2 milhões).

- Vamos esperar o negócio. Hoje eu não libero o Jadson. Não vendo. Me faria pensar se a proposta financeira for muito boa ao clube. A negociação pode acontecer, vamos esperar chegar o papel para ver primeiro se os valores sã bons ao clube. Caso contrário, não tem negócio - disse Andrade.


(Gil disputa com Luis Fabiano no Majestoso)

Sobre Gil, o mandatário do Timão negou que tenha negociação em andamento. A realidade é que Roberto de Andrade, ao lado do gerente de futebol Edu Gaspar, conversa há duas semanas com o empresário Carlos Leite para a saída do camisa 4 após a Libertadores. As partes esperam uma proposta do Wolfsburg (ALE) de 7 milhões de euros (R$ 22 milhões).

- Não existe negociação, existe conversa. Mas não existe nenhuma negociação. Sabemos do potencial dele, mas não existe nada de concreto, não - disse.

Assim como o ex-presidente Mário Gobbi Filho, a visão do novo presidente é que o ciclo de renovação é de julho a julho, após a Libertadores. Saídas e novas contratações devem ocorrer neste período.

- Até o fim da Libertadores é muito difícil que a gente perca alguém. Não queremos liberar ninguém, como já falei no caso do Jadson e vale para qualquer outro atletas. Renovação faz parte do futebol, a gente está sempre em busca de qualidade maior. Não sabemos se isso vai acontecer, mas queremos sempre manter um elenco em alta - concluiu o dirigente.