icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/02/2015
20:27

Um sujeito desavisado que resolveu dar uma espiada no jogo de Bragança Paulista neste sábado poderia muito bem cair na armadilha de achar que tratava-se de uma partida do Campeonato Espanhol. De um lado, o Barcelona trocando passes de pé em pé, no "tiki-taka", com um argentino baixinho, ousado, envolvendo um adversário frágil, muito frágil, desses Levantes ou Getafes da vida. Mas na realidade era o São Paulo de Muricy Ramalho batendo no pobre Bragantino. Resultado: 5 a 0, fora o baile.

Mesmo sem seus principais jogadores, com apenas Lucão de titular em relação ao time que enfrentou o Santos na última quarta-feira, o São Paulo foi arrasador do início ao fim. Os donos da casa mal pegaram na bola. A velocidade do toque de bola tricolor e o modo como chegava ao gol de Lauro impressionaram. O primeiro tempo acabou 3 a 0, com gols de Boschilia, Alan Kardec e Pato, todos oriundos de jogadas envolventes com participação do reforço argentino Ricardo Centurión.

O hermano, aliás, foi uma atração à parte. Saiu melhor que a encomenda e confirmou aquilo que se desenhou na véspera: não é um velocista que abaixa a cabeça e só corre. O meia joga fácil, deu inúmeros passes de primeira com precisão, driblou, cadenciou, deu caneta, chapéu e levou os adversários à loucura, e ainda deixou sua marca, no fim do jogo. O meia Caio, um dos mais experientes, acusou o golpe e foi expulso após duas entradas fortes no argentino. Perdeu a cabeça. Mérito de Centurión.

[[GAL:LANPGL20150214_0008]]

Outro ponto alto do jogo foi o jovem Boschilia, de apenas 18 anos. No 3-5-2 encontrado por Muricy como opção para descansar seus jogadores para o clássico de quarta-feira contra o Corinthians, pela Libertadores, o meia foi destaque. Detalhe: como ala esquerdo. Ou um ponta, tamanha a facilidade com que apareceu no ataque, nas costas de Diego Macedo. Assim construiu seus dois gols, o segundo para fazer 4 a 0, logo no início do segundo tempo.

Outro estreante do dia, o zagueiro Dória também teve atuação segura, sobretudo porque o trabalho foi facilitado. Com o quarto gol precoce, o São Paulo administrou com toque de bola, em destaque para grande partida de Maicon, o mais organizador do time.


O resultado e, principalmente, a boa atuação do time reserva, foi ótimo para o São Paulo. A equipe chega cheia de confiança para o Majestoso. A notícia ruim é que, após a excelente estreia, Centurión não deve jogar, pois está suspenso pela Conmebol. Uma pena.

Já o Bragantino brigou com a vitória, depois de estrear com o pé direito, triunfando. São quatro derrotas consecutivas. Típico de uma fraca equipe espanhola, mas jogando o Campeonato Paulista.

FICHA TÉCNICA
BRAGANTINO 0 X 5 SÃO PAULO

Local: Estádio Nabi Abi CHedid, em Bragança Paulista (SP)
Data e Hora: 14 de fevereiro de 2015, às 18h30
Juiz: Thiago Duarte Peixoto
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Luis Alexandre Nilsen
Público/Renda:
Cartões amarelos: Hudson (SAO); Caio e Diego Macedo (BRA)
Cartão vermelho: Caio, 16'/2ºT (BRA)
GOLS: Boschilia, 22'/1ºT (0-1); Alan Kardec, 28'/2ºT (0-2); Alexandre Pato, 35'/2ºT (0-3); Boschilia, 1'/2ºT (0-4) e Centurion,

BRAGANTINO: Lauro; Diego Macedo, Renato Santos, Wellington Reis e Esquerdinha; Fernando, Anderson Uchôa, Muralha (Léo Gago, intervalo) e Caio; Erick Luis (Gabriel, aos 37'/2ºT) e Diego Mauricio. Técnico: Marco Aurélio

SÃO PAULO: Denis; Lucão, Edson Silva e Dória; Thiago Mendes, Hudson (Souza, aos 16'/2ºT), Maicon, Centurión e Boschilia; Alan Kardec (Ademilson, aos 26'/2ºT) e Alexandre Pato (Cafu, aos 42'/2T). Técnico: Muricy Ramalho