icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Rodrigo Lois
icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Rodrigo Lois
02/07/2013
17:18

Os dias de Thiago Neves no Fluminense estão contados. O jogador resolveu aceitar a proposta do Al Hilal, da Arábia Saudita, e não deve mais atuar com a camisa tricolor. Após pedir alguns dias para pensar, o apoiador se reuniu com representantes do clube árabe e viu como vantajosa a oferta. Agora, o jogador é aguardado na próxima semana para realizar exames médicos e assinar o vínculo que deve ser de duas temporadas.

Umas das pendências que fizeram com que o camisa 10 demorasse para aceitar o acordo, era o tempo de contrato. Como já atuou no país e fez questão de voltar ao Brasil, o apoiador não quer um vínculo longo e os arábes aceitaram diminuir o período. Thiago Neves é considerado um dos grandes ídolos do clube e por conhecer bem a torcida, a estrutura e o Xeque, dono do Al Hilal, vai optar por retornar. Para ter Thiago Neves, os árabes vão desembolsar cerca de R$ 18 milhões, sendo apenas R$ 3,6 milhões do Tricolor, que detém 20% dos direitos econômicos. Os outros 80% são pertencentes a parceira e patrocinadora do clube, Unimed Participações, que em janeiro de 2012, pagou cerca de R$ 16,2 milhões ao mesmo Al Hilal pelo atleta.

Como está com um estiramento na panturrilha esquerda, ainda se tratando, o clube está cauteloso em falar oficialmente sobre a negociação. Por isso, o anúncio oficial do acordo só deve ser feito após a assinatura do contrato, até o fim da próxima semana. Além do Al Hilal, o Al Shabab (SAU) ofereceu cerca de R$ 16 milhões pelo jogador, mas o próprio Thiago Neves não se empolgou. Além disso, a proposta salarial do seu ex-clube era superior.

Mesmo com tudo encaminhado, o empresário e que cuida da imagem do jogador , Leandro Lima, não confirmou o acerto.

- Não está nada definido. Só isso que posso falar - resumiu.

A outra parte interessada, o Fluminense, também nego qualquer tipo de acordo entre Fluminense e Al Hilal para levar o jogador.

- Até o presente momento não existe acordo. Continuamos analisando as propostas e não há nada de concreto. Por enquanto, ele continua treinando normalmente com os demais atletas do elenco e segue como jogador do Fluminense - afirmou o diretor executivo do clube, Rodrigo Caetano.

Thiago Neves deve seguir para Riad, capital da Arábia Saudita, acompanhado de seus representantes e dos representantes do Al Hilal, que estão no Brasil desde a última quinta-feira tratando da negociação. Em seguida, os valores serão apresentados ao Fluminense que já acenou com a possibilidade de liberar o camisa 10. O Al Hilal ainda não acertou com o Fluminense e nem com a Unimed Participações a forma que o pagamento será feito.


Os dias de Thiago Neves no Fluminense estão contados. O jogador resolveu aceitar a proposta do Al Hilal, da Arábia Saudita, e não deve mais atuar com a camisa tricolor. Após pedir alguns dias para pensar, o apoiador se reuniu com representantes do clube árabe e viu como vantajosa a oferta. Agora, o jogador é aguardado na próxima semana para realizar exames médicos e assinar o vínculo que deve ser de duas temporadas.

Umas das pendências que fizeram com que o camisa 10 demorasse para aceitar o acordo, era o tempo de contrato. Como já atuou no país e fez questão de voltar ao Brasil, o apoiador não quer um vínculo longo e os arábes aceitaram diminuir o período. Thiago Neves é considerado um dos grandes ídolos do clube e por conhecer bem a torcida, a estrutura e o Xeque, dono do Al Hilal, vai optar por retornar. Para ter Thiago Neves, os árabes vão desembolsar cerca de R$ 18 milhões, sendo apenas R$ 3,6 milhões do Tricolor, que detém 20% dos direitos econômicos. Os outros 80% são pertencentes a parceira e patrocinadora do clube, Unimed Participações, que em janeiro de 2012, pagou cerca de R$ 16,2 milhões ao mesmo Al Hilal pelo atleta.

Como está com um estiramento na panturrilha esquerda, ainda se tratando, o clube está cauteloso em falar oficialmente sobre a negociação. Por isso, o anúncio oficial do acordo só deve ser feito após a assinatura do contrato, até o fim da próxima semana. Além do Al Hilal, o Al Shabab (SAU) ofereceu cerca de R$ 16 milhões pelo jogador, mas o próprio Thiago Neves não se empolgou. Além disso, a proposta salarial do seu ex-clube era superior.

Mesmo com tudo encaminhado, o empresário e que cuida da imagem do jogador , Leandro Lima, não confirmou o acerto.

- Não está nada definido. Só isso que posso falar - resumiu.

A outra parte interessada, o Fluminense, também nego qualquer tipo de acordo entre Fluminense e Al Hilal para levar o jogador.

- Até o presente momento não existe acordo. Continuamos analisando as propostas e não há nada de concreto. Por enquanto, ele continua treinando normalmente com os demais atletas do elenco e segue como jogador do Fluminense - afirmou o diretor executivo do clube, Rodrigo Caetano.

Thiago Neves deve seguir para Riad, capital da Arábia Saudita, acompanhado de seus representantes e dos representantes do Al Hilal, que estão no Brasil desde a última quinta-feira tratando da negociação. Em seguida, os valores serão apresentados ao Fluminense que já acenou com a possibilidade de liberar o camisa 10. O Al Hilal ainda não acertou com o Fluminense e nem com a Unimed Participações a forma que o pagamento será feito.