icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/06/2014
18:32

Com a carreira consolidada no futebol europeu, a história do volante Thiago Motta, da seleção da Itália, é muito parecida com a de jogadores brasileiros que optam por defender outros países. A diferença dele é que, ao contrário de Diego Costa (Espanha) ou Eduardo da Silva (Croácia), ele tem uma ligação de berço com a equipe que representa na Copa do Mundo, já que é bisneto de imigrantes italianos. Com tanto sangue do país europeu correndo nas veias, Motta garantiu que nunca pensou em defender a Seleção Brasileira numa Copa do Mundo.

- Nunca sonhei com isso. Não sou adaptado apenas ao futebol europeu, mas ao modo de vida da Europa. Sinto que sou um italiano que nasceu no Brasil. Tive a sorte de ter uma família italiana e o privilégio de poder jogar pela Itália - garantiu o camisa 5 da Azzurra.

O volante começou a carreira nas categorias de base do Juventus (SP), mas se profissionalizou no Barcelona (ESP). O jogador do Paris Saint-Germain (FRA) chegou a disputar uma Copa Ouro com a Seleção sub-23, mas conseguiu a liberação para defender a seleção italiana. O jogador acredita que fez a melhor escolha possível:

- Como nasci no Brasil, jogava pela seleção brasileira, mas não me passava pela cabeça que jogaria pelo time principal. Sempre tive certeza que a melhor escolha que fiz foi defender a seleção italiana.

Thiago pode ser titular contra a Costa Rica, sexta-feira, às 13h, na Arena Pernambuco, já que o titular Verratti não está nas melhores condições físicas após a dura temporada europeia.