icons.title signature.placeholder Felipe Mendes, enviado especial*
17/11/2013
17:14

Equipe tradicional na vela oceânica mundial, o Alinghi amargou neste domingo o vice-campeonato do Extreme Sailing Series. A equipe suíça até brilhou no último dia da etapa brasileira, em Florianópolis (SC), e ficou com o título em águas nacionais, mas o troféu da temporada acabou nas mãos do The Wave Muscat. Com o resultado, o barco de Omã conquistou o inédito tricampeonato da competição - vencera em 2010 e 2012. Já seu comandante, o britânico Leigh McMillan, levou o campeonato pela segunda vez - faturou também no ano passado.

- Ser bicampeão é uma sensação muito boa. Ao mesmo tempo que é uma grande responsabilidade comandar a equipe, a sensação de vitória é tão prazerosa. A pressão é grande, mas é preciso estar preparado para tudo. O Alinghi fez uma grande temporada e neste domingo eles dominaram as disputas, mostrando um grande desempenho dentro da água - disse McMillan.

Em 26 regatas disputadas em quatro dias em Florianópolis, o Alinghi somou 219 pontos, contra 215 do Wave Muscat. Como a etapa brasileira era a última da temporada, a pontuação foi dobrada. Com o título na cidade catarinense, o barco suíço somou 20 pontos e fechou a classificação geral com 74 pontos, empatado com o rival de Omã, que obteve 18 em Florianópolis. No critério de desempate, McMillan levou a melhor por ter vencido cinco das sete etapas da temporada. O Alinghi faturou as outras duas.

Velejadores do Muscat comemoram no pódio (Foto: Vincent Curutchet/Lloyd Images


Em um dia com ventos fracos, a decisão do campeonato chegou a ficar em aberto diante do bom desempenho da equipe suíça. Nas sete regatas deste sábado, o Alinghi venceu três. O Wave Muscat ganhou apenas uma, mas ficou o tempo todo marcando o advesário e procurando chegar sempre colado. Para conquistar o troféu da temporada, o time suíço precisava chegar na frente do rival de Omã, mas colocando um barco separando-o do rival. 

- É um prazer imenso ganhar o evento aqui no Brasil. Os rapazes batalharam bastante e estou bem orgulhoso da equipe. Florianópolis é um lugar maravilhoso e se tivermos que voltar para cá em 2014 eu ficarei muito feliz. Apesar de não termos conseguido conquistar o título geral, ser campeão no último evento do ano é bem gratificante. Vamos poder comemorar com champanhe e caipirinha - afirmou o americano Morgan Larson, comandante do barco suíço.

Neste último dia de disputa, o Team Brazil Mapfre voltou a competir depois de se ausentar no sábado por conta de uma avaria no barco. Comandado por Clínio de Freitas, e com Lars Grael de coordenador, a equipe brasileira voltou a sentir a falta de treinos e obteve como melhor resultado um sexto lugar na penúltima regata do dia. Já o dinamarquês SAP Extreme Sailing Team, que capotou durante a disputa de sábado, não conseguiu consertar o barco e ficou fora da competição neste domingo.


Classificação após o 4º dia - 26 regatas

1 - Alinghi (SUI): 219 pontos
2 - The Wave Muscat (OMA): 215 pontos
3 - Red Bull Sailing Team (AUT): 208 pontos
4 - ChinaSpirit (CHN): 184 pontos
5 - Realteam (SUI): 164 pontos
6 - GAC Pindar (NZL): 159 pontos
7 - SAP Extreme Sailing Team (DEN): 122 pontos
8 - Team Brazil Mapfre (BRA): 61 pontos

Classificação geral após sete etapas

1 - The Wave, Muscat (OMA): 74 pontos
2 - Alinghi (SUI): 74 pontos
3 - Red Bull Sailing Team (AUT): 61 pontos
4 - SAP Extreme Sailing Team (DEN): 51 pontos
5 - Realteam (SUI): 49 pontos
6 - GAC Pindar (NZL): 42 pontos
7 - Barco do País (tripulação convidada): 34 pontos
8 - Team Korea (CDS): 16 pontos  

*O repórter viaja a convite da OC Sport