icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/07/2014
07:00

Antes mesmo de Thalles e Kléber jogarem juntos em uma partida oficial, o técnico Adilson Batista já dava a receita de que era preciso ter paciência, pois o entrosamento só viria com o tempo. Três jogos após a estreia, os dois parecem começar a se entender dentro de campo. A etapa final do duelo com a Ponte Preta, pela Copa do Brasil, foi uma prova disso.

O gol de Thalles, o segundo do triunfo vascaíno, foi o primeiro que teve a participação da dupla. Kléber soltou uma bomba de fora da área, o goleiro Roberto espalmou e, no rebote, o camisa 39 anotou o primeiro dele após a pausa para a Copa do Mundo. Mas não foi só o gol que chamou atenção. Dentro de campo, os dois se movimentavam e davam a sensação de que a experiência do Gladiador, prestes a completar 31 anos, está se aliando à juventude de Thalles, de 19 anos. Afinal, é exatamente nesta diferença de idade que nasce a igualdade dentro das quatro linhas.

– Precisávamos jogar mais pelo lado porque o meio estava congestionado. Quando fizemos isso, conseguimos o gol e mudamos todo o nosso esquema, tanto que marcamos o segundo logo depois. É um resultado importante, mas não tem nada definido, pois já vimos várias surpresas no futebol – comentou o “experiente” Kléber.

Há semelhança até mesmo no discurso deles. Ao invés de usarem um discurso em prol da dupla, colocam os méritos da vitória da última quarta-feira, sobre a Ponte Preta, pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, no grupo inteiro, mas fazem questão de ressaltar a necessidade de não dar bobeira em casa e focar no jogo de amanhã, novamente contra a Macaca, em Campinas, mas pela Série B.

– O grupo todo está de parabéns. Na Copa do Brasil é importante não tomar gol fora de casa e conseguimos levar uma boa vantagem para São Januário. Agora é descansar para sábado, que apesar de ser o mesmo adversário vai ser uma pedreira – disse o jovem atacante.

Aos vascaínos, resta torcer para que a dupla engrene de vez o quanto antes. Afinal, pelas palavras de Adilson, os dois já são os titulares para este segundo semestre. Serão fundamentais para vencer a Série B e ir bem longe na Copa do Brasil.