icons.title signature.placeholder João Pedro Marins e Luis Fernando Coutinho
icons.title signature.placeholder João Pedro Marins e Luis Fernando Coutinho
30/07/2013
14:14

Depois de quatro anos, o brasileiro Thales Leites volta à maior organização de MMA do mundo neste sábado, dia 3 de agosto, no UFC 163. O brasileiro enfrenta o inglês Tom Watson no card principal do evento. Em entrevista ao LANCE!Net, o atleta da Nova União comentou as expectativas e a ansiedade para sua volta ao octógono.

- Não estou ansioso não, estou com uma expectativa boa, a melhor possível. Não estou nervoso e acredito que não ficarei nervoso na hora. Já estou acostumado, pois estou nessa estrada há bastante tempo. Já lutei em outros eventos do UFC. Não vai ser nenhuma surpresa para mim, estou me sentindo bem e confiante - declarou o lutador, que tem um cartel de 20 vitórias e quatro derrotas no MMA.

A princípio, a volta de Thales Leites ao UFC seria no card preliminar, mas depois do cancelamento da luta entre Demian Maia e Josh Koscheck, o brasileiro acabou subindo para o card principal. Sobre essa troca, Thales diz que recebeu a notícia com muito entusiasmo. Para ele, atuar entre as principais lutas da noite representa uma maior visibilidade para subir na categoria.

- Eu já estava no card, agora lutando no card principal é melhor ainda. Tem uma visibilidade maior e a casa vai estar mais cheia. Acho que o universo está conspirando a meu favor. Eu vejo dessa forma, está tudo dando certo graças a Deus - afirmou o brasileiro, em conversa por telefone com o L!Net.

Analisando o jogo do seu adversário no UFC 163, Thales fez questão de deixar claro para os fãs que pode vencê-lo tanto por finalização quanto por nocaute. O brasileiro estudou o plano de jogo do inglês e treinou para qualquer cenário em que a luta possa acontecer.

Thales Leites afirmou que pode surpreender e nocautear seu adversário (FOTO: UFC)

- Na verdade, sou um representante do jiu jitsu. Então, independente do adversário, vou estar sempre buscando o jogo de chão para finalizar. Tenho estudado (o Tom Watson) e vi que ele gosta de trabalhar na luta agarrada. Vamos ver como que vai ser na luta, se ele quiser trabalhar no clinch, melhor ainda para mim, porque posso ter a oportunidade de derrubá-lo e levar a luta para o chão. Mas, eu estou pronto para qualquer situação. Não se surpreendam se eu chegar e nocauteá-lo, porque não seria surpresa nenhuma, estou treinando bastante para isso. Vou buscar a finalização ou nocaute o tempo todo. Essa luta não vai pra decisão dos juízes. Tenho certeza - relatou Thales.

Lutador comenta demissão do UFC em 2009
Thales Leites saiu do UFC há quatro anos, quando perdeu por decisão dividida para Alessio Sakara, em agosto de 2009, uma luta após ter disputado o cinturão da categoria dos médios contra Anderson Silva. O brasileiro falou do seu desligamento do UFC e afirmou que sua última luta na organização teve resultado controverso.

- Eu tinha acabado de lutar pelo cinturão e depois fiz essa luta no card preliminar. Uma luta que, ao meu ver, e ao ver de muitas pessoas também, eu ganhei. Mas foi dada vitória por decisão dividida para o Sakara e fui cortado do evento. Mas, a vida continua, fui para outros eventos, continuei treinando, continuei me dedicando e agora estou retornando. Não fiquei chateado. Na época, parei para pensar e, na verdade, nada acontece por acaso, tinha que ser desse jeito e eu amadureci bastante - informou o lutador.

Quanto a disputa de título contra Spider, Thales perdeu por decisão unânime após cinco rounds. Embora o lutador considere que o confronto seja o mais importante da sua carreira, ele acredita que não foi o seu melhor desempenho.

Thales foi derrotado por Anderson Silva em disputa de cinturão realizada em 2009 (FOTO: UFC)

- Realmente foi a luta mais importante da minha carreira. Porém, não foi a luta que rendi melhor. Poderia ter dado mais de mim, ter buscado mais a luta, mas passou. Na época, fui muito criticado, mas a resposta veio depois, com outros adversários fazendo a mesma coisa que eu, não conseguindo impôr seu jogo e acabando se frustrando durante a luta, porque o Anderson é um cara que procura dominar mentalmente o adversário - relembrou o atleta.

Confira a entrevista com Thales Leites
O que você achou da derrota polêmica de Anderson Silva no UFC 162?
Não sei o que passou pela cabeça dele... O que dá a entender para nós do mundo da luta é que ele passou um pouco do ponto nas brincadeiras. Ele sempre foi de chamar o adversário para luta, fazer um deboche, desdenhar, mas sempre contragolpeando, sempre mostrando agressividade. Acho que dessa vez o deboche passou um pouco da conta e ele não acreditou muito no Weidman, que foi lá e fez o trabalho dele.

Thales volta ao UFC (FOTO: Reprodução)

Você acha que o Spider vai recuperar o cinturão na revanche?
Acho que sim, tem totais condições de voltar a ser campeão. Agora, depende dele, depende de ele querer. Acho que ele aprendeu da pior maneira possível e pagou caro por ter passado do ponto nas brincadeiras. Ele foi um cara que estava há muito tempo sendo campeão, e o treinamento é pesado, a pressão em cima é pesada, a gente não sabe o que aconteceu realmente. Só quem está lá é quem pode falar disso melhor. Mas, acho que ele tem totais condições de voltar a ser campeão sim. Acredito que é o que a maioria das pessoas esperam, ver uma segunda luta e ele trabalhando mais ofensivamente.

Qual a mensagem que você deixa para os fãs que vão te assistir no UFC 163?
Queria agradecer a todos meus fãs, que sempre me deram apoio, até os que criticam também, porque fazem a gente ver as coisas com outros olhos, e se está fazendo algo errado. Quero dizer para a galera que o Thales vai estar 100%, na ponta dos cascos, voando. Vou fazer o meu melhor.

Depois de quatro anos, o brasileiro Thales Leites volta à maior organização de MMA do mundo neste sábado, dia 3 de agosto, no UFC 163. O brasileiro enfrenta o inglês Tom Watson no card principal do evento. Em entrevista ao LANCE!Net, o atleta da Nova União comentou as expectativas e a ansiedade para sua volta ao octógono.

- Não estou ansioso não, estou com uma expectativa boa, a melhor possível. Não estou nervoso e acredito que não ficarei nervoso na hora. Já estou acostumado, pois estou nessa estrada há bastante tempo. Já lutei em outros eventos do UFC. Não vai ser nenhuma surpresa para mim, estou me sentindo bem e confiante - declarou o lutador, que tem um cartel de 20 vitórias e quatro derrotas no MMA.

A princípio, a volta de Thales Leites ao UFC seria no card preliminar, mas depois do cancelamento da luta entre Demian Maia e Josh Koscheck, o brasileiro acabou subindo para o card principal. Sobre essa troca, Thales diz que recebeu a notícia com muito entusiasmo. Para ele, atuar entre as principais lutas da noite representa uma maior visibilidade para subir na categoria.

- Eu já estava no card, agora lutando no card principal é melhor ainda. Tem uma visibilidade maior e a casa vai estar mais cheia. Acho que o universo está conspirando a meu favor. Eu vejo dessa forma, está tudo dando certo graças a Deus - afirmou o brasileiro, em conversa por telefone com o L!Net.

Analisando o jogo do seu adversário no UFC 163, Thales fez questão de deixar claro para os fãs que pode vencê-lo tanto por finalização quanto por nocaute. O brasileiro estudou o plano de jogo do inglês e treinou para qualquer cenário em que a luta possa acontecer.

Thales Leites afirmou que pode surpreender e nocautear seu adversário (FOTO: UFC)

- Na verdade, sou um representante do jiu jitsu. Então, independente do adversário, vou estar sempre buscando o jogo de chão para finalizar. Tenho estudado (o Tom Watson) e vi que ele gosta de trabalhar na luta agarrada. Vamos ver como que vai ser na luta, se ele quiser trabalhar no clinch, melhor ainda para mim, porque posso ter a oportunidade de derrubá-lo e levar a luta para o chão. Mas, eu estou pronto para qualquer situação. Não se surpreendam se eu chegar e nocauteá-lo, porque não seria surpresa nenhuma, estou treinando bastante para isso. Vou buscar a finalização ou nocaute o tempo todo. Essa luta não vai pra decisão dos juízes. Tenho certeza - relatou Thales.

Lutador comenta demissão do UFC em 2009
Thales Leites saiu do UFC há quatro anos, quando perdeu por decisão dividida para Alessio Sakara, em agosto de 2009, uma luta após ter disputado o cinturão da categoria dos médios contra Anderson Silva. O brasileiro falou do seu desligamento do UFC e afirmou que sua última luta na organização teve resultado controverso.

- Eu tinha acabado de lutar pelo cinturão e depois fiz essa luta no card preliminar. Uma luta que, ao meu ver, e ao ver de muitas pessoas também, eu ganhei. Mas foi dada vitória por decisão dividida para o Sakara e fui cortado do evento. Mas, a vida continua, fui para outros eventos, continuei treinando, continuei me dedicando e agora estou retornando. Não fiquei chateado. Na época, parei para pensar e, na verdade, nada acontece por acaso, tinha que ser desse jeito e eu amadureci bastante - informou o lutador.

Quanto a disputa de título contra Spider, Thales perdeu por decisão unânime após cinco rounds. Embora o lutador considere que o confronto seja o mais importante da sua carreira, ele acredita que não foi o seu melhor desempenho.

Thales foi derrotado por Anderson Silva em disputa de cinturão realizada em 2009 (FOTO: UFC)

- Realmente foi a luta mais importante da minha carreira. Porém, não foi a luta que rendi melhor. Poderia ter dado mais de mim, ter buscado mais a luta, mas passou. Na época, fui muito criticado, mas a resposta veio depois, com outros adversários fazendo a mesma coisa que eu, não conseguindo impôr seu jogo e acabando se frustrando durante a luta, porque o Anderson é um cara que procura dominar mentalmente o adversário - relembrou o atleta.

Confira a entrevista com Thales Leites
O que você achou da derrota polêmica de Anderson Silva no UFC 162?
Não sei o que passou pela cabeça dele... O que dá a entender para nós do mundo da luta é que ele passou um pouco do ponto nas brincadeiras. Ele sempre foi de chamar o adversário para luta, fazer um deboche, desdenhar, mas sempre contragolpeando, sempre mostrando agressividade. Acho que dessa vez o deboche passou um pouco da conta e ele não acreditou muito no Weidman, que foi lá e fez o trabalho dele.

Thales volta ao UFC (FOTO: Reprodução)

Você acha que o Spider vai recuperar o cinturão na revanche?
Acho que sim, tem totais condições de voltar a ser campeão. Agora, depende dele, depende de ele querer. Acho que ele aprendeu da pior maneira possível e pagou caro por ter passado do ponto nas brincadeiras. Ele foi um cara que estava há muito tempo sendo campeão, e o treinamento é pesado, a pressão em cima é pesada, a gente não sabe o que aconteceu realmente. Só quem está lá é quem pode falar disso melhor. Mas, acho que ele tem totais condições de voltar a ser campeão sim. Acredito que é o que a maioria das pessoas esperam, ver uma segunda luta e ele trabalhando mais ofensivamente.

Qual a mensagem que você deixa para os fãs que vão te assistir no UFC 163?
Queria agradecer a todos meus fãs, que sempre me deram apoio, até os que criticam também, porque fazem a gente ver as coisas com outros olhos, e se está fazendo algo errado. Quero dizer para a galera que o Thales vai estar 100%, na ponta dos cascos, voando. Vou fazer o meu melhor.