icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo, Daniel Guimarães e João Matheus Ferreira
09/07/2014
06:00

O Vasco terá uma nova fornecedora de material esportivo em breve. A Umbro, parceira do clube entre 2003 e 2005, formalizou uma proposta por três anos e meio de contrato, que foi aceita pela diretoria cruz-maltina. A assinatura deve ser feita nas próximas semanas e, segundo o LANCE!Net apurou, o valor total é de R$ 35 milhões (cerca de R$ 10 milhões anuais).

A duração do contrato, entretanto, é motivo de polêmica entre integrantes da oposição. Como a eleição acontece no próximo dia 6 e o mandato da chapa vitoriosa dura três anos, o longo vínculo com a Umbro compromete o planejamento da futura gestão cruz-maltina.

Outro ponto de desacordo é o montante que entraria nos cofres, já que a Penalty paga R$ 12 milhões ao ano. Porém, a diretoria aposta em cláusulas do contrato que, no futuro, pode superar a ex-parceira.

A diretoria evita relacionar o vínculo com a Umbro com questões políticas. Durante a negociação, o Vasco recebeu propostas de Puma e Kappa, mas acabou optando pelo acerto com os ingleses.

– Conversamos com mais de dez empresas diferentes. Algumas propostas não nos agradaram, outras acharam nosso pedido alto. A única que formalizou proposta foi a Umbro. Estão dispostos a atender o que queremos e devemos assinar em breve – comentou o diretor geral do Vasco, Cristiano Koehler.

A proposta da Umbro foi aceita de forma unânime após reunião envolvendo o próprio Koehler, o presidente Roberto Dinamite, o vice Antonio Peralta, o diretor executivo Rodrigo Caetano, e representantes do Conselho Fiscal, dos departamentos jurídico e de marketing.

Na última sexta-feira, o LANCE!Net destacou que o contrato com a Umbro não agradava conselheiros e opositores da gestão atual. Alguns destes opositores, inclusive, alegam que o diretor geral do Vasco, Cristiano Koehler, levou interesses pessoais em conta na negociação com a fornecedora inglesa.

O NOVO CONTRATO

Valores
O valor do contrato entre Vasco e Umbro será de R$ 35 milhões no total. Com isso, o Cruz-Maltino receberá cerca de R$ 10 milhões por ano. Além disso, o clube receberá 30% a mais por venda de camisas do que recebia da Penalty.

Tempo
O tempo do vínculo que será firmado é de três anos e meio. Porém, nos próximos três meses, a Penalty continuará fornecendo o material esportivo para o Vasco. A Umbro usará este período para desenhar os novos uniformes e distribuí-los ao clube e lojas.

Indicação e ameaça de ir à Justiça

Em uma reunião do Conselho Deliberativo, após votação, foi indicado a Roberto Dinamite que não assinasse vínculo maior do que seis meses. O pedido teria sido acatado e alguns conselheiros ameaçam acionar a Justiça caso isso seja descumprido.

Vale ressaltar que, pelo estatuto do clube, não há a obrigatoriedade que tais contratos passem pelo Deliberativo. Segundo o L! apurou, o presidente do Conselho não participou das reuniões entre Vasco e Umbro, mas a diretoria se mostra aberta a mostrar detalhes aos conselheiros.