icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/08/2015
21:39

Marcelo Oliveira considerou que o Palmeiras perdeu para o Atlético-MG no meio de campo. O técnico lamentou por ter de usar uma escalação inesperada no setor, já que Cleiton Xavier treinou no sábado como titular, mas no fim da atividade na Academia de Futebol sofreu a lesão na coxa, que o tirou da viagem para Belo Horizonte. Já sem Gabriel e Arouca, machucados, o Verdão entrou em campo com Andrei Girotto, Amaral e Zé Roberto. Com esta formação, o time teve péssima atuação na primeira etapa no Independência.

- São dois jogadores que cumprem mais funções, sabem marcar e atacar. Mas não cabe lamentar. Pesou um pouco também a ausência do Cleiton Xavier. Foi um meio de campo totalmente novo - explicou o treinador, depois da derrota no Independência.

Incomodado com o rendimento nos primeiros 45 minutos, Marcelo Oliveira tirou Andrei, Egídio e Alecsandro para colocar Gabriel Jesus, Robinho e Barrios. Após as mudanças, o Palmeiras melhorou, mas pecou por conta da ansiedade, de acordo com o comandante.

- O Palmeiras faz gol cedo e não se aproveita disso, de fazer contra-ataque. Ficamos olhando. Se ficarmos olhando o Atlético-MG, fica perigoso. Corrigimos no intervalo. Palmeiras teve oportunidades e as perdemos. Poderíamos ter voltado ao G4. Agora é mudar a direção para o jogo de quarta-feira - acrescentou.

Apesar do tropeço, o Verdão segue a dois pontos do G4, ajudado pelos tropeços de Fluminense, São Paulo, Sport e Atlético-PR, outros rivais pela vaga no grupo que se classifica a uma vaga na Libertadores. Na quinta colocação do Brasileiro, o Palmeiras volta a campo na quarta, mas pela Copa do Brasil, quando enfrenta o Cruzeiro, no Mineirão. Um empate dá a vaga ao Alviverde nas quartas do torneio.


Marcelo Oliveira considerou que o Palmeiras perdeu para o Atlético-MG no meio de campo. O técnico lamentou por ter de usar uma escalação inesperada no setor, já que Cleiton Xavier treinou no sábado como titular, mas no fim da atividade na Academia de Futebol sofreu a lesão na coxa, que o tirou da viagem para Belo Horizonte. Já sem Gabriel e Arouca, machucados, o Verdão entrou em campo com Andrei Girotto, Amaral e Zé Roberto. Com esta formação, o time teve péssima atuação na primeira etapa no Independência.

- São dois jogadores que cumprem mais funções, sabem marcar e atacar. Mas não cabe lamentar. Pesou um pouco também a ausência do Cleiton Xavier. Foi um meio de campo totalmente novo - explicou o treinador, depois da derrota no Independência.

Incomodado com o rendimento nos primeiros 45 minutos, Marcelo Oliveira tirou Andrei, Egídio e Alecsandro para colocar Gabriel Jesus, Robinho e Barrios. Após as mudanças, o Palmeiras melhorou, mas pecou por conta da ansiedade, de acordo com o comandante.

- O Palmeiras faz gol cedo e não se aproveita disso, de fazer contra-ataque. Ficamos olhando. Se ficarmos olhando o Atlético-MG, fica perigoso. Corrigimos no intervalo. Palmeiras teve oportunidades e as perdemos. Poderíamos ter voltado ao G4. Agora é mudar a direção para o jogo de quarta-feira - acrescentou.

Apesar do tropeço, o Verdão segue a dois pontos do G4, ajudado pelos tropeços de Fluminense, São Paulo, Sport e Atlético-PR, outros rivais pela vaga no grupo que se classifica a uma vaga na Libertadores. Na quinta colocação do Brasileiro, o Palmeiras volta a campo na quarta, mas pela Copa do Brasil, quando enfrenta o Cruzeiro, no Mineirão. Um empate dá a vaga ao Alviverde nas quartas do torneio.