icons.title signature.placeholder Valdomiro Neto
15/06/2014
21:29

Benzema fez dois gols no jogo, sendo um deles no pênalti que gerou expulsão (FOTO: AFP)

A superioridade técnica da França foi reconhecida a todo momento pelo treinador Luis Suárez, de Honduras. Ainda assim, para ele a expulsão de Wilson Palacios após marcação de pênalti, ainda no primeiro tempo, foi vital para o largo placar de 3 a 0 para o adversário. 

- Ter por tanto tempo uma desvantagem numérica contra um time com tanto talento é difícil, mas são de circunstâncias assim que o jogo é feito e o juiz achou que deveria expulsar.

O comandante afirmou não culpar seu jogador pela derrota e repetiu ser uma circunstância da partida. Além disso, declarou que não iria fazer juizos sobre a decisão do árbitro. 

- Wilson fez uma falta. Como já tinha amarelo, não havia nada o que fazer, são outra vez circunstâncias da partida. Fico tranquilo com isso. E sobre a arbitragem e eu não posso mudar meu discurso do que são as decisões de quem apito. Eu lhes peço com todo o respeito que me perdoem por não falar de árbitros, nunca o fiz e nunca vou fazer. 

Outro assunto comentado pelo colombiano que dirige Honduras foi a polêmica do segundo gol, resolvido pela nova tecnologia da Fifa que mostra se a bola passou ou não da linha do gol. Segundo ele, o recurso mostrou-se confuso.

- Não fiquei incomodado porque se validou o gol, mas porque a primeira decisão da máquina foi "não foi" e a segunda foi "gol", não sei com qual ficar. Ao final é isso, se tecnologicamente está tudo claro, e que a princípio a bendita máquina tenha dito que não e depois sim, então qual é a verdade?

A seleção hondurenha fez em Porto Alegre sua sétima partida em Mundiais e segue sem nenhum triunfo. A nova oportunidade de romper essa barreira será contra o Equador, em Curitiba, na próxima sexta-feira. As equipes farão um duelo decisivo, já que perderam na rodada inicial e uma nova derrota poderá determinar a eliminação de uma delas de forma precoce do Mundial.