icons.title signature.placeholder Rodrigo Cerqueira
27/06/2014
15:51

O Uruguai volta ao Maracanã neste sábado por uma Copa do Mundo. No palco carioca, a Celeste teve sua maior alegria, o título mundial de 1950, justamente em cima do Brasil. Embora o adversário vista amarelo, não é a Seleção Brasileira, mas sim a Colômbia. De qualquer forma, o técnico José Pekerman não escapou das perguntas sobre o "fantasma" daquela Copa.

- Há uma grande recordação. no futebol é considerado uma façanha. Sabemos o que é jogar nesse país, o que significa o futebol no Brasil. Por ter jogado a final, invertido um resultado adverso... Valorizamos todas essas façanhas. Nos ajudam a crer que o jogador, desde pequeno, tem idolatria. Isso vai estar sempre na mente dos jogadores. Tanto dos que são uruguaios, como os que não são do país - disse o técnico da Colômbia, que também falou sobre a atual seleção uruguaia:

- Nós pensamos no Uruguai, na força deles. É um oponente de grande força que vamos enfrentar. É uma equipe com um excelente técnico, com uma história de muito sucesso nos últimos anos. Mas estou preocupado com a Colômbia, tivemos muitos problemas com lesões.

O tom da coletiva, quando o assunto era o Uruguai, foi basicamente de muito respeito. Mas quando foi solicitado para fazer uma análise mais profunda, rasgou elogios.

- O Uruguai é um grupo muito sólido, o treinador consegue aproveitar toda a experiência dos jogadores. Pode ter um jogador a mais, outro a menos, mas nunca vai perder sua assência e acreditar no triunfo. Tem jogadores de pegada, bons no jogo aéreo, como Godín, que ganha uma partida em uma jogada aérea, em uma cabeçada. A seleção tem personalidade para jogar, e todos no futebol sabemos que é uma grande equipe. Termina uma Copa da África do Sul e ganha uma Copa América... Temos muita admiração e respeito - concluiu Pekerman.