icons.title signature.placeholder Valdomiro Neto
29/06/2014
17:26

Joaquim Low diz que saber nomes de adversários não é relevante (FOTO: Odd Andersen/AFP)

Na véspera do confronto contra a Argélia, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, técnico e capitão da Alemanha não souberam citar nomes de jogadores do adversário desta segunda, no Beira-Rio. Phillipp Lahm declarou que assistiu a vídeos da equipe africana, porém não memorizou quem são: 

- Não sei o nome dos jogadores, ou onde eles jogam. Sei um ou outro, mas não quero pronunciar os nomes errado. Vimos vídeos e temos noção do que teremos pela frente. 

O técnico Joaquim Low também deixou claro não saber nomes de atletas adversários, mas assegurou conhecer o estilo de jogo e ter mostrado aos seus atletas os cuidados que devem ter para não serem surpreendidos. 

- A gente faz a mesma coisa com qualquer adversário. Antes olhamos os jogos deles e observamos individualmente. Fazemos o que for necessário por adversário. Podemos não conhecer bem seus nomes, mas observamos o time. Nosso auxiliar esteve na Copa Africana. Sabemos que é um time que tem muita influência francesa. Os nomes não são tão decisivos, nós conhecemos as qualidades. Atacam como os franceses. Os perfis são discutidos com os nossos jogadores - afirmou Low na sala de imprensa do estádio do Internacional.

O treinador também foi instado a falar da França, possível adversário nas quartas de final caso a seleção supere mesmo os argelinos (os franceses enfrentam a Nigéria no mesmo dia). Low usou o discurso protocolar de só pensar no rival imediato que a equipe terá pela frente. 

- A França não é o que pensamos agora. Quem acreditar que pode subestimar qualquer adversário está errado. Temos que pensar no passo a passo. Não olhar o hipotético. Temos que concentrar nossos esforços na Argélia.

MAIORIA DA TORCIDA? 

A existência de muitos descendentes de alemães no Rio Grande do Sul não faz o treinador alemão crer que a equipe vá contar com mais apoio que os argelinos no Beira-Rio. A informação que Low diz ter é outra:

- Não sei se teremos a maioria da torcida. A Argélia já tinha 10 mil torcedores para essa partida. Ouvi falar que serão quatro mil alemães. Vimos nos jogos da Argélia que seus torcedores são fanáticos e têm muito entusiasmo por ser a primeira vez que estão nas oitavas - declarou o treinador, que ao ser perguntado sobre o suposto clima de revanchismo pela Copa de 82, quando um jogo de "cartas marcadas" envolvendo Alemanha e Áustria eliminou a Argélia, desconversou. 

- Não falamos sobre isso. Estão tentando motivar a equipe com esse argumeno, mas eles nem eram nascidos quando isso aconteceu, em Gijón, na Espanha. Isso aconteceu há mais de 30 anos, não é assunto para nós. 

A partida entre Alemanha e Argélia acontece às 17h desta segunda-feira no Beira-Rio, em Porto Alegre.