icons.title signature.placeholder Valdomiro Neto
24/06/2014
15:43

O técnico da Argentina, Alejandro Sabella, não nega que sua seleção é dependente de Messi. Na entrevista coletiva de véspera do jogo contra a Nigéria, no Beira-Rio, o comandante alviceleste declarou que o ideal é reduzir essa necessidade, porém ela é quase inevitável. 

- Essa dependência sempre existe. E a pressão que ele sofre é inerente a qualquer craque em uma Copa do Mundo. Vamos tentar fazer com que essa pressão não seja tão grande, liberar esse peso que ele possa sentir. Somos uma equipe, temos que ajudar uns aos outros - declarou o treinador, que vê o camisa 10 como merecedor "da adoração que tem recebido por parte de todos". 

E no dia do aniversário de 27 anos do principal craque argentino, o treinador foi sucinto ao explicar como o saudou: 

- Só dei um parabéns, porque não tive tempo para mais nada. 

Sabella, que não quis antecipar o time antes da partida e realizou um treino com apenas 15 minutos de atividades abertas, declarou que avaliará as condições físicas de cada atleta e não descartou nem mesmo poupar seu maior astro. O lateral Rojo, único pendurado com cartão amarelo, tem boas chances de não sser escalado. O treinador reconhece que a equipe precisa melhorar, mas ainda assim vê qualidades no futebol que foi exibido até o momento. 

- Temos que melhorar. No primeiro tempo contra o Irã, embora tenha faltado mobilidade, tivemos cinco ou seis oportunidades. No segundo tempo também tivemos chances. O goleiro deles foi muito bem. Na análise que se faz é preciso levar em conta o adversário, o horário, a temperatura, todas essas coisas. Algumas coisas posso expor publicamente, outras não. Pode não ter jogado bem, mas houve oito chances de gol. 

Outra questão levantada na entrevista de Sabella foi a presença notável de argentinos em Porto Alegre para acompanhar a equipe (as estimativas chegam a impressionantes cem mil). O técnico não se surpreende, diz estar sendo uma constante onde quer que a equipe atue (anteriormente jogou no Maracanã e no Mineirão).

- Temos uma grande emoção com esses torcedores, mas conhecemos a paixão do argentino pelo futebol, já era esperado. Eles estão corroborando isso com a grande quantidade que está aqui. Fico imaginando o apoio que teremos.

A Argentina enfrenta a Nigéria às 13h desta quarta-feira, no estádio Beira-Rio. Um empate garante ao time alviceleste a primeira colocação do Grupo G, ao passo que a igualdade classificará os africanos.