icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
27/02/2015
02:00

Um novo ídolo do esporte nacional. É com esse status que Gabriel Medina iniciará a partir desta sexta-feira sua busca pelo bicampeonato mundial, na abertura da temporada 2015 da nova Liga Mundial de Surfe (WSL), em Gold Coast, na Austrália.

O brasileiro de 21 anos entra na competição como o nome a ser batido após levar a taça de campeão no WCT em dezembro do ano passado, no Havaí. Em sua primeira  bateria na temporada, contra o brasileiro Wiggolly Dantas e um surfista convidado, todos os olhos estarão na direção dele.

A situação é bem diferente em relação a 2014. No começo da temporada passada, Medina já era considerado um futuro campeão mundial devido ao seu talento, mas ainda não despertava a atenção do povo brasileiro como agora. Sua fama era quase que restrita à tribo do surfe.


Aos 20 anos, o paulista de Maresias já tinha patrocinadores, fazia propagandas na televisão e ocupava uma posição de respeito dentro de sua modalidade, mas sem chamar tanta atenção de quem não acompanha o surfe de perto. No segundo semestre de 2014, com sua proximidade do título mundial, o "país do futebol" foi se tornando aos poucos também o "país do surfe".

Atualmente, a rotina do campeão mundial segue toda a programação de um popstar esportivo, como por exemplo Neymar. São inúmeras entrevistas, comerciais e  contatos com fãs. Todos os passos dele nas redes sociais viraram notícia.

- Foi bem divertido e muito intenso quando voltei para o Brasil depois do título mundial no Havaí. Eu tive grandes momentos comemorando com meus fãs, amigos e todos os brasileiros. A recepção foi incrível, mas também pude aproveitar algumas semanas de férias em Florianópolis e em Maresias com o Neymar, minha família e amigos mais próximos. Depois disso, também tive que cumprir uma agenda com muitas entrevistas e comerciais com meus patrocinadores - falou o campeão mundial.

Gabriel Medina é carregado após conquistar seu título mundial no Havaí (Foto: AFP)


Em uma época em que o esporte brasileiro tornou-se carente de ídolos esportivos (ainda mais depois do caso de doping de Anderson Silva), Gabriel Medina terá a responsabilidade de preencher essa lacuna. Será este um dos pesos que ele precisará carregar em 2015. Além, é claro, de tentar ser bicampeão mundial.

- Comecei treinando forte com a minha equipe nas últimas três semanas e estou bem preparado para iniciar mais uma temporada. Antes de vir aqui para a Austrália, eu viajei para Santa Bárbara na Califórnia (EUA) e para o Havaí, para poder surfar ondas maiores e agora estou aqui na Austrália, pronto e muito animado para voltar a competir - falou Medina.