icons.title signature.placeholder João Pedro Marins e Luis Fernando Coutinho
27/12/2013
14:50

Neste sábado, Anderson Silva tentará apagar a imagem de sua última exibição pelo Ultimate e recuperar o cinturão dos médios para consolidar-se ainda mais como um dos maiores lutadores de todos os tempos. Hoje, se Spider está a uma luta de recuperar o posto de campeão do maior evento de MMA do mundo, no passado, o início de seu caminho foi difícil.

Até chegar ao título do Ultimate e tornar-se um dos maiores astros do MMA, Anderson Silva realizou 22 lutas na carreira. Mas, um dia, o brasileiro também foi apenas um desconhecido que buscava seu espaço no esporte. Em 1997, Spider estreava no MMA, aos 22 anos, pelo Brazilian Freestyle Circuit 1, e realizou duas lutas na mesma noite para receber o prêmio de R$ 500 reais. Para efeito de comparação, em sua última luta pelo UFC, o brasileiro recebeu 600 mil dólares (cerca de 1 milhão e 411 mil reais) para subir no octógono, e teria levado ainda mais 200 mil dólares caso tivesse vencido.

Em entrevista ao LANCE!Net, o ex-companheiro de treinos de Anderson, Cristiano Marcello, relembrou de como foi participar do primeiro Brazilian Freestyle Circuit ao lado de Anderson Silva. Ambos lutadores se apresentaram no evento e viajaram juntos para o show, que aconteceu em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

- Eu e Anderson viajamos juntos de ônibus para o evento. Lutei na categoria até 70 kg e ele na de 80kg. O torneio tinha duas lutas na mesma noite. Anderson venceu seus dois confrontos na divisão de 80kg e recebeu o prêmio de R$ 500,00 - relatou Cristiano, em conversa por telefone.

Anderson Silva e Cristiano Marcello nos tempos de Chute Boxe (FOTO: Arquivo Pessoal)

Já comentando sobre a próxima luta de Spider, Cristiano Marcello espera um desfecho diferente do primeiro confronto entre o brasileiro e Chris Weidman. O palpite do lutador é de que Anderson vence por nocaute, no máximo no terceiro round.

- Acho que não vai passar do terceiro round. Se passar é porque está complicada para o Anderson. Na primeira luta, Weidman estava ficando frustrado e a estratégia do Anderson era essa. Acho que nessa ele vai bloquear as investidas do americano e vence por nocaute antes do quarto round - completou o veterano.

Confira um bate-bola com Cristiano Marcello:
Como era sua relação com Anderson Silva?
Fui técnico da parte de chão dele durante dois anos na Chute Boxe, quando ele fez umas três lutas pelo Pride. Tinha uma relação muito boa nessa época e, hoje em dia, nos vemos pouco, mas quando encontro com ele, sempre conversamos.

Como era a dedicação de Spider nos treinos?
Anderson sempre foi o primeiro a chegar no treino e último a sair. Sempre foi dedicado, acabava o treino e ele continuava treinando, fazia mais uma manobra no muay thai ou no chão. Ele é um cara estudioso e sempre gostou de treinar.

Naquela época, você já imaginava que ele se tornaria um grande campeão?
Nós sabíamos do potencial dele, principalmente da parte técnica. Ele é um cara bem acima da média. Ninguém tinha noção do que se tornaria o esporte, mas com certeza ele estaria entre os melhores.

Weidman defenderá cinturão contra Anderson, neste sábado (FOTO: Divulgação/UFC)

Você acredita em uma aposentadoria do Anderson após o UFC 168?
Ele tem totais condições de continuar lutando. Acredito que se ele parar é por questão de estresse, de pressão. Toda pressão de ser o campeão e ainda ter que lidar com a pressão dos fãs. O cara faz o que fez e quando perde não é mais aquilo. Inventam mil situações para a derrota dele.

Qual influência na luta você acha que tem a diferença de idade entre Spider e Weidman?
Acho que não influencia muito, porque Anderson se cuida bastante. Ele nunca foi de se machucar, ficar parado por lesão. Ele manja mais do que muito garotão.

Além da esperada revanche entre Chris Weidman e Anderson Silva, valendo o cinturão dos médios, o UFC 168 ainda contará com o reencontro de Ronda Rousey e Miesha Tate, pelo título peso-galo feminino. O evento será transmitido ao vivo pelo canal Combate, a partir das 21h30.

Confira as lutas do show:
Card principal
Chris Weidman x Anderson Silva
Ronda Rousey x Miesha Tate
Josh Barnett x Travis Browne
Jim Miller x Fabrício Morango
Dustin Poirier x Diego Brandão
Card preliminar
Chris Leben x Uriah Hall
Gleison Tibau x Michael Johnson
Dennis Siver x Manny Gamburyan
John Howard x Siyar Bahadurzada
William Patolino x Bobby Voelker
Robbie Peralta x Estevan Payan