icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/11/2014
08:15

Se a temporada que vai chegando ao fim foi emocionante sem ser feliz para o Vasco, muito é pela irregularidade do time. Apesar do bom primeiro semestre, o time nunca teve ataque muito efetivo. A defesa caiu de produção na segunda parte de 2014. Assim, poucos tiveram desempenho a comemorar.

Um deles é Martin Silva, que chegou como solução. Durante o ano, foram poucos os erros do uruguaio, que ainda fez grandes intervenções no jogo que garantiu o acesso, no último sábado, contra o Icasa.

– Foi um ano positivo. Pude me consolidar no futebol brasileiro e correu tudo relativamente bem. O objetivo era subir e conseguimos. Então, isso foi um objetivo conquistado, o mais importante. Sofremos mais do que o imaginado, sabíamos que era um campeonato difícil e não fomos uma equipe regular. Não merecemos ter o acesso mais antecipado – disse o goleiro, com franqueza.

Apesar de ser o alvo preferido em vaias, o meia Douglas também termina o ano com crédito. Afinal, o camisa 10 foi o artilheiro do Vasco na Série B. Até agora, dez gols do atleta que, com 52 jogos, foi quem mais atuou pelo time na temporada.

Por outro lado, a lista de quem ficou devendo é extensa. Os laterais André Rocha e Marlon, por exemplo, chegaram no início do ano, mas, hoje, mal ficam no banco de reservas. Outros, como Rafael Silva e Montoya, não aproveitaram as oportunidades que tiveram e reduziram as opções ofensivas da equipe.

Foram muitos altos e baixos no Cruz-Maltino. Seja com que nomes o Vasco estiver em 2015, a regularidade vai precisar ser bem maior para que os resultados sejam positivos.

CONFIRA OS DESTAQUES

Positivos:

Martin Silva - Salvador no início do ano, o uruguaio fez grandes defesas e termina o ano com muito prestígio

Rodrigo - O xerife foi titular durante toda a temporada e utilizou a faixa de capitão quando Guiñazú esteve ausente.

Douglas Silva - Apesar da lesão na reta final, ganhou posição e se destacou também na parte ofensiva. Foram seis gols marcados.

Douglas - Liderou o time durante todo o ano. Artilheiro do time na Série B, foi o responsável pelas bolas paradas.

Thalles - Com dez gols na temporada, ganhou espaço no time e se tornou titular da Seleção Brasileira Olímpica.

Negativos:

André Rocha - Mais marcador, começou o ano como titular, mas perdeu espaço e não consegue ficar nem no banco de reservas.

Rafael Vaz - Apesar de se destacar também no ataque, perdeu terreno para Anderson Salles entre os suplentes.

Marlon - Outro que começou o ano entre os titulares, mas Diego Renan e Lorran estão à frente na lateral esquerda.

Dakson - Não conseguiu aproveitar as chances. Joel, inclusive, mudou seu esquema tático em algumas ocasiões.

Guilherme - Biteco Em dez jogos, apenas um gol marcado. Não deixará saudades nem mesmo nos treinamentos.

Montoya - Os 33 jogos e 3 gols marcados dizem muito sobre o ano do colombiano. Jogou muito e não produziu quase nada.

Rafael Silva - Deixou tanto a desejar que, na última chance que teve, contra o Vila Nova (GO), foi sacado no intervalo.