icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/11/2013
09:23

A temperatura está elevada nas Laranjeiras. O clima é tenso. E as chances de rebaixamento aumentam rodada a rodada. Há oito jogos sem vencer, o Flu tem agora os mesmos 36 pontos do Vasco, o primeiro no Z4. Contra o Botafogo, clássico que iniciou o jejum, a probabilidade de rebaixamento era de 3%. Após a derrota para o Flamengo, domingo, em outro clássico carioca, ela saltou para 47%.

Na semana que antecedeu o Fla-Flu, Vanderlei Luxemburgo, pressionado, balançou no cargo. Alguns davam a demissão do treinador como certa caso uma derrota acontecesse, mas o treinador recebeu mais um voto de confiança da direção do clube e aproveitou para afirmar que não vai abandonar o time nesta altura do campeonato.

E MAIS
- Retorno de Fred em 2014 não seria surpresa no Fluminense
- Falta de vitórias faz Flu atingir pior aproveitamento em clássicos da história

– Estou acostumado com o futebol, não vou desanimar nem a pau. Não é o primeiro problema que vivo no futebol. Sou como vara de marmelo, envergo mas não quebro, sigo trabalhando – disse o treinador, pouco depois da derrota neste domingo.

Luxemburgo pode até não estar desanimado com o momento ruim, mas uma nova derrota no próximo fim de semana pode pôr fim a sua passagem pelo Fluminense, já que o time pode entrar na zona de rebaixamento já na próxima rodada. Apesar do momento ruim na tabela, o discurso do presidente continua sendo de total apoio ao treinador.

– Não tem sentido ter mudança, é trabalhar nessa filosofia demonstrada no clássico e dar segurança ao Luxemburgo para seguir esse trabalho até o fim do Brasileiro – afirmou Peter após o Fla-Flu.

Em busca de tranquilidade

Buscando uma semana de paz, a delegação embarca nesta terça-feira para uma semana de treinos em Atibaia (SP). Com medo de retaliações e protestos da torcida, o clube não divulgou o horário do embarque.

Toda essa preocupação tem fundamento. O Flu pode ser o primeiro clube na história do Brasileirão a ser campeão em um ano e terminar rebaixado no outro. Ainda restam seis rodadas para mudar isso.

Oito jogos sem vencer: Onde está a salvação do Fluminense?