icons.title signature.placeholder Thiago Ferri
19/06/2014
08:03

Quando foi apresentado no Palmeiras, Ricardo Gareca avisou que não tinha segredos, nem traria nada de novo à rotina no Brasil. Ao menos neste início de trabalho, o discurso está sendo cumprido. Dando ênfase aos trabalhos físicos nestes três primeiros dias, a comissão técnica do argentino programou trabalhos bem parecidos com aqueles já conhecidos pelos funcionários do clube.

– Até falamos disto aqui. Eles trabalham praticamente da mesma forma que estávamos fazendo. Praticamente não houve mudança nos métodos, talvez tenha em trabalhos táticos, enfim, mas na parte física é muito daquilo que já fazíamos – explicou o fisiologista do clube, Paulo Zogaib, ao LANCE!Net.

Depois das quase duas semanas de folga, o grupo voltou sem nenhum grande problema físico, e descansado como a comissão desejava. Neste começo de semana, o preparador físico Néstor Bonillo, parte da comissão de Gareca, está liderando os treinamentos, como na quarta de manhã, a primeira atividade aberta para os jornalistas.

Com circuitos físicos, os jogadores tiveram de correr sob as ordens de Néstor, e diante dos olhares atentos do treinador. Sem participar do comando da atividade, El Flaco viu o treino às vezes entre os atletas, às vezes à distância. Quando podia, o técnico tinha uma conversa com jogadores pontualmente. Mesmo que ainda conhecendo o chefe, os jogadores já sabem que terão de correr muito.

– Ele é um cara que gosta de atividades físicas e de ver as suas equipes em uma boa forma atlética. Ele conversa separadamente com cada jogador, procura a adaptação o mais rápido. Assim todos se sentirão à vontade. Isso é fundamental para a equipe ter uma mentalidade vencedora – avisou o pentacampeão Lúcio, que chegou a ser contra a chegada de um técnico gringo.

Confira a entrevista com Paulo Zogaib.

Houve alguma mudança perceptível entre os trabalhos da antiga comissão técnica e esta?
Não. Vai mesclando os trabalhos físicos com bola, aos poucos vai dando ênfase ao trabalho tático e técnico, mas é igualzinho, não tem uma alteração. Mesmo a distribuição dos treinos na semana é a mesma filosofia. Há um intercâmbio mundial na área.

Como foi o contato entre vocês e os auxiliares do Gareca?
Conversamos sobre os tipos de treinos, e é a mesma coisa. Nas conversas tem sido tudo muito tranquilo. Apesar de eles falarem espanhol, estamos conversando na mesma língua (risos).

E qual a condição do elenco na reapresentação, segunda-feira?
Dentro do normal. A parada foi relativamente pequena. O descanso nós até queríamos que ocorresse, e a queda de rendimento é pequena. E com poucos treinamentos eles retomam a melhor condição. Este grupo fisicamente não apresenta problemas, é bem tranquilo.