icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/03/2014
11:12

Quando foi finalizado por Chael Sonnen, em agosto de 2013, Mauricio Shogun sofreu diversas críticas no mundo do MMA tanto pelo desempenho quanto pela sua forma física no confronto. Mas, em seu último compromisso pelo UFC, em dezembro do ano passado, o atleta se recuperou e, mostrando um ótimo condicionamento físico, nocauteou James Te Huna no primeiro round.

O desempenho de sua última luta é o que o brasileiro quer repetir contra Dan Henderson neste domingo, em Natal. Para o ex-campeão do UFC, a mudança de treinos de Curitiba para São Paulo foi o principal fator responsável pela sua nova forma física e dedicação nos treinos. Apesar de ressaltar a qualidade de sua equipe antiga, Shogun revelou que, em São Paulo, treinando ao lado de Demian Maia e Daniel Sarafian, por exemplo, ele recuperou sua motivação.

-  Sempre estive com ótimos treinadores, mas faltava mais motivação da minha parte. Com os treinos em São Paulo a motivação apareceu, porque passei a ser apenas mais um no tatame. Em Curitiba, os treinadores eram meus contratados e estavam voltados apenas para mim. Agora, em São Paulo, tenho bons atletas que me auxiliam nos treinos - comentou o meio-pesado, em entrevista ao site oficial do UFC.

Para seu compromisso em Natal, Shogun espera usar o que aprendeu do primeiro confronto contra o americano para impor seu plano de jogo. No cenário ideal para o brasileiro, o duelo terminaria como sua última exibição no octógono: vitória por nocaute no primeiro round.

Shogun e Henderson se enfrentam novamente neste domingo (FOTO: Wander Roberto/UFC)

- Estou me sentindo melhor dessa vez, já que conheço bem seu estilo de lutar. Fica mais fácil para impor meu ritmo de luta. Sempre vou buscar o nocaute, independente de estar vencendo o combate. Se tiver a oportunidade, vou nocautear no primeiro round - afirmou o atleta.

Na mesma entrevista, Shogun ainda fez uma crítica ao tratamento de reposição hormonal. Apesar do TRT ter sido proibido pela Comissão Atlética Brasileira de MMA, Henderson ainda terá direito ao uso da terapia no UFC de Natal, já que a decisão do órgão brasileiro foi tomada muito perto do evento, e o americano já havia entrado com o pedido para fazer o tratamento. Na opinião de Shogun, o TRT pode ser como uma "camuflagem para usar anabolizantes".

- Sou contra o uso do TRT. É um tratamento que qualquer um conseguia autorização para fazer, basta uma assinatura médica. Em alguns casos, vejo como uma camuflagem para o atleta poder usar anabolizantes. Nunca precisei de nada, quem cuida disso é meu médico - concluiu o brasileiro.

O UFC de Natal está marcado para começar às 18h deste domingo. Além da revanche entre Shogun e Henderson, o evento traz também o confronto entre Cezar Mutante e CB Dollaway na luta co-principal da noite.