icons.title signature.placeholder Marcelo Braga
icons.title signature.placeholder Marcelo Braga
09/07/2013
18:21

O Corinthians adiou a definição sobre a renovação com Emerson Sheik e Chicão para depois do dia 17, quando o clube faz o segundo jogo da decisão da Recopa Sul-Americana contra o São Paulo – no primeiro, venceu por 2 a 1 no Morumbi, no dia 3. Internamente no CT, há um otimismo em relação à permanência da dupla, que tem vínculo até dezembro e quer mais dois anos de contrato. A diretoria, porém, oferece apenas mais uma temporada.

– Essa atitude foi pensada entre todos: diretoria e comissão técnica. Queremos que fiquem, só não queremos firmar um contrato longo. Vou repetir o que falei para o Sheik em reunião: "O Corinthians não quer que você fique um ano aqui. Queremos fazer um contrato de um ano". Isso não quer dizer que depois não podemos fazer mais um ano ou que eles possam ficar mais dois ou três conosco – disse o diretor de futebol Roberto de Andrade, em entrevista ao LANCE!Net, nesta terça-feira.

A postura da diretoria foi a mesma com relação a Liedson em 2012. Na ocasião, o atacante tinha contrato até 31 de julho e recebeu a proposta de renovar por mais seis meses para a disputa do Mundial de Clubes. Aos 34 anos, não achou interessante e encerrou o seu ciclo no Timão. Assim como fazem hoje por Sheik e Chicão, a torcida cobrou o clube na época a valorizar a história do jogador – que tinha limitações físicas nos dois joelhos.

– Tudo pesa: história, idade, maneira de ser do atleta, necessidade de ficar, mas o Corinthians também tem limite. Tomamos conta do dinheiro do clube mais do que do nosso. Sobre o meu dinheiro, não dou satisfações. Já sobre o do clube, damos a milhões de pessoas. Procuramos o que é melhor para o clube.

Danilo, que renovou duas vezes por períodos curtos com o Timão a partir dos 32 anos, é um exemplo da direção para os jogadores, que entenderam a posição assumida. O meia foi contratado em dezembro de 2009 com vínculo até dezembro de 2011. Em setembro, aos 32 anos, acertou a renovação por um ano. Já em setembro de 2012, firmou novo vínculo, por mais um ano e meio: até o meio de 2014.

Chicão tem 32 anos, dois a menos que Sheik. Ambos aguardam propostas para tomarem a decisão final.

O Corinthians adiou a definição sobre a renovação com Emerson Sheik e Chicão para depois do dia 17, quando o clube faz o segundo jogo da decisão da Recopa Sul-Americana contra o São Paulo – no primeiro, venceu por 2 a 1 no Morumbi, no dia 3. Internamente no CT, há um otimismo em relação à permanência da dupla, que tem vínculo até dezembro e quer mais dois anos de contrato. A diretoria, porém, oferece apenas mais uma temporada.

– Essa atitude foi pensada entre todos: diretoria e comissão técnica. Queremos que fiquem, só não queremos firmar um contrato longo. Vou repetir o que falei para o Sheik em reunião: "O Corinthians não quer que você fique um ano aqui. Queremos fazer um contrato de um ano". Isso não quer dizer que depois não podemos fazer mais um ano ou que eles possam ficar mais dois ou três conosco – disse o diretor de futebol Roberto de Andrade, em entrevista ao LANCE!Net, nesta terça-feira.

A postura da diretoria foi a mesma com relação a Liedson em 2012. Na ocasião, o atacante tinha contrato até 31 de julho e recebeu a proposta de renovar por mais seis meses para a disputa do Mundial de Clubes. Aos 34 anos, não achou interessante e encerrou o seu ciclo no Timão. Assim como fazem hoje por Sheik e Chicão, a torcida cobrou o clube na época a valorizar a história do jogador – que tinha limitações físicas nos dois joelhos.

– Tudo pesa: história, idade, maneira de ser do atleta, necessidade de ficar, mas o Corinthians também tem limite. Tomamos conta do dinheiro do clube mais do que do nosso. Sobre o meu dinheiro, não dou satisfações. Já sobre o do clube, damos a milhões de pessoas. Procuramos o que é melhor para o clube.

Danilo, que renovou duas vezes por períodos curtos com o Timão a partir dos 32 anos, é um exemplo da direção para os jogadores, que entenderam a posição assumida. O meia foi contratado em dezembro de 2009 com vínculo até dezembro de 2011. Em setembro, aos 32 anos, acertou a renovação por um ano. Já em setembro de 2012, firmou novo vínculo, por mais um ano e meio: até o meio de 2014.

Chicão tem 32 anos, dois a menos que Sheik. Ambos aguardam propostas para tomarem a decisão final.