icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/04/2014
14:18

A briga na Arena na noite desta quinta-feira resultou em sete torcedores que não poderão entrar em estádios novamente. A Promotoria Especializada do Torcedor sugeriu a pena, que foi colocada em prática nas audiências no Juizado Especial Criminal. Foram 25 gremistas detidos por conta do confronto na arquibancada durante o jogo com o Nacional.

As movimentações duraram até às 3h30 desta sexta-feira no estádio. O promotor José Seabra Mendes Júnior comandou as ações para reprimir os atos de violência no estádio. A pena já vale para o clássico Gre-Nal, no domingo. As fotografias dos torcedores punidos estarão nos portões do Centenário e com a polícia militar de Caxias do Sul.

A punição de impedir torcedores de frequentar os estádios já havia sido dada para três gremistas, que estavam na Arena e se envolveram na briga. Com a ampliação da competência do Jecrim, os adolescentes que se envolveram no tumulto também participaram de audiência e foram beneficiados pelo instituto da remissão. Essa foi a primeira sessão do gênero em estádios de futebol no RS.

Ainda houve julgamento de outras nove pessoas, detidas por conduta inconveniente, desacato e resistência, cambismo e exercício irregular de profissão. E dois torcedores do Nacional irão pagar multa por terem entrado no estádio e acendido um sinalizador dentro da Arena.

Na noite de ontem, uma briga irrompeu a geral da Arena, instantes antes do jogo iniciar. O enfrentamento aconteceu porque torcedores queriam homenagear um ex-líder da Geral, que morreu há alguns dias, Zóio. Iam estender uma faixa sobre outra, da Garra Tricolor. E a briga se iniciou. Por conta dela, o Grêmio pode jogar de portões fechados no jogo de volta contra o San Lorenzo.