icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/03/2014
18:57

Dois senadores dos Estados Unidos pedem a exclusão da Rússia da Copa do Mundo e que o país deixe de ser a sede da edição de 2018. Segundo o jornal "The Wall Street Journal", Mark Mirk (Illinois) e Dan Coats (Indiana), ambos do Partido Republicano, enviaram, nesta sexta-feira, uma carta ao presidente da Fifa, Joseph Blatter, cobrando punições ao país europeu por conta do envolvimento na crise política da Ucrânia.

Os parlamentares citam o estatuto da Fifa, que proíbe a discriminação contra qualquer país com base na política ou na origem étnica. No documento, a invasão à Crimeia, na Ucrânia, é considerada uma violação à soberania de outro país.

E MAIS

HOME: Veja as últimas do futebol internacional
CEO do COL crê que gramados serão legado da Copa do Mundo

Os senadores também lembraram a decisão da entidade máxima do futebol de proibir a Iugoslávia de disputar a Eurocopa de 1992 e as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 94, mencionando o caso como precedente.

- Desde que a Rússia tem exibido, similarmente, um descarado desrespeito pelos princípios fundamentais da Fifa e pelas leis internacionais, eu espero que vocês concordem que (a Rússia) não mereça a honra de tanto sediar a Copa do Mundo quanto participar de uma - escreve a carta dos senadores.

A Fifa ainda não se pronunciou sobre o documento.

A Rússia enfrentará Coreia do Sul, Bélgica e Argélia no Grupo H da Copa do Mundo do Brasil.