icons.title signature.placeholder Felipe Domingues, Guilherme Cardoso e Luis Fernando Ramos
06/11/2014
14:58

O final do ano na Fórmula 1 reserva um clima 'nostálgico' no paddock. Para alguns pilotos, a certeza de um lugar no cockipt das equipes na temporada seguinte é um conforto, para outros, um tormento. Kevin Magnussen, Jean-Eric Vergne, Adrian Sutil e Pastor Maldonado são apenas alguns desses exemplos.

Outros, como Fernando Alonso e Sebastian Vettel, deixaram suas equipes nesta temporada, porém têm a certeza de que não ficarão sem lar em 2015. O mesmo serve para pilotos que já assinaram suas renovações contratuais, como o brasileiro Felipe Massa, na Williams.

A temporada 2015 reservará espaço para caras novas no paddock, como o brasileiro Felipe Nasr, na Sauber, e o jovem belga Max Verstappen, que tentará a sorte aos 17 anos na equipe Toro Rosso. As novidades, porém, encurtam o espaço dos veteranos.

Confira alguns dos comentários dos "sem rumo" para 2015:

Kevin Magnussen - dinamarquês de 22 anos, da McLaren:

"Eles não estão fazendo isso para me irritar, eles tem uma razão para isso (McLaren ainda não confirmá-lo em 2015). Eu entendo porque não fui comunicado ainda. Algumas coisas ainda não estão resolvidas do lado deles e, se eles pudessem, me diriam. Só posso esperar para ver o que vai acontecer. Não estou planejando mais nada, não estou procurando mais nada. Estou planejando como se fosse seguir aqui no próximo ano, e é para isso que estou trabalhando e dando meu melhor."

Jean-Eric Vergne - francês de 24 anos, da Toro Rosso:

"Tenho boas palavras de muitas pessoas, especialmente de Franz Tost (chefe da equipe). Seria algo bom seguir com essa equipe, eu realmente acredito neles e penso que ficamos muito mais fortes nesta temporada e na próxima seguiremos nessa subida. Então, eu acredito que posso estar em uma melhor posição no ano que vem e, espero, que eu possa continuar (na Toro Rosso). Mas nunca se sabe. E eu não sei muito mais sobre essa situação."

Pastor Maldonado - venezuelano de 29 anos, da Lotus:

"Foi uma temporada muito dura, especialmente no começo, sem poder rodar com o carro como queríamos. Talvez não tenha sido o melhor jeito de começar um trabalho com um time. Mas fizemos um grande trabalho tentando colocar tudo no lugar, melhorar, e agora focamos no próximo ano. A equipe parece estar boa, competitiva em termos de espírito. Sabem como fazer um bom carro e esperamos o melhor no próximo ano"

Adrian Sutil - alemão de 31 anos, da Sauber:

"Preciso ver o que será possível, o que quero... São muitas coisas para pensar e não posso dizer mais no momento. A Fórmula 1 é imprevisível, mas como eu disse, tenho algumas coisas para pensar e a equipe precisa comentar sobre o resto. Não estou frustrado, é assim que é a Fórmula 1 há muitos anos. É um negócio um pouco diferente."