icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/07/2013
19:15

Jogador mais velho do elenco palmeirense, Fernando Prass completou 35 anos nesta terça-feira. O jogador, porém, passou ileso à ovada, "homenagem" comum quando um atleta faz aniversário no grupo (Wesley, no mês passado, não teve a mesma sorte e foi atacado pelos companheiros no dia em que fez 26 anos). Ao analisar sua carreira, o camisa 25 ressaltou a importância da experiência para sua posição.

- Para o goleiro, é importante a experiência, a vivência, e isso você adquire com o tempo. Um atacante com 17 anos pode atingir o auge. O goleiro leva mais tempo para amadurecer, é totalmente diferente. A idade e a vivência te trazem a experiência. De repente tu perde (sic) algumas coisas, isso é normal, mas tem muitas situações para trabalhar e minimizar estas perdas - analisou ele, nesta terça, na Academia de Futebol.

Pensando no futuro, o atual titular do gol palmeirense não descarta prolongar sua carreira até os 40 anos. Com poucas lesões graves na carreira - ele se recuperou recentemente de uma, na clavícula esquerda, que o tirou dos gramados por dois meses, durante as finais do Paulista, da Libertadores e começo da Série B - Prass voltou ao time no sábado e considera que tem condições físicas para chegar neste número.

- É difícil prever o futuro a tão longo prazo, tem variáveis complicadas, principalmente as lesões. Graças a Deus não me machuco. Tive esta lesão, mas fazia sete anos que não ficava mais do que três dias no departamento médico. Condições físicas vou ter sim, porque a gente faz duas vezes por ano os testes de força, potência e resistência. E os meus dão praticamente os mesmos de quando tinha 20 anos. Não tenho sentido o peso - analisou.

- O importante é ter consciência do seu corpo, trabalhar com pessoas especializadas. Tem o Rogério (Ceni), o Marcos jogou com idade avançada, o Van der Sar, o Lehmann... - recordou.

Prass acredita que novo elenco do Palmeiras é digno de Série A

Jogador mais velho do elenco palmeirense, Fernando Prass completou 35 anos nesta terça-feira. O jogador, porém, passou ileso à ovada, "homenagem" comum quando um atleta faz aniversário no grupo (Wesley, no mês passado, não teve a mesma sorte e foi atacado pelos companheiros no dia em que fez 26 anos). Ao analisar sua carreira, o camisa 25 ressaltou a importância da experiência para sua posição.

- Para o goleiro, é importante a experiência, a vivência, e isso você adquire com o tempo. Um atacante com 17 anos pode atingir o auge. O goleiro leva mais tempo para amadurecer, é totalmente diferente. A idade e a vivência te trazem a experiência. De repente tu perde (sic) algumas coisas, isso é normal, mas tem muitas situações para trabalhar e minimizar estas perdas - analisou ele, nesta terça, na Academia de Futebol.

Pensando no futuro, o atual titular do gol palmeirense não descarta prolongar sua carreira até os 40 anos. Com poucas lesões graves na carreira - ele se recuperou recentemente de uma, na clavícula esquerda, que o tirou dos gramados por dois meses, durante as finais do Paulista, da Libertadores e começo da Série B - Prass voltou ao time no sábado e considera que tem condições físicas para chegar neste número.

- É difícil prever o futuro a tão longo prazo, tem variáveis complicadas, principalmente as lesões. Graças a Deus não me machuco. Tive esta lesão, mas fazia sete anos que não ficava mais do que três dias no departamento médico. Condições físicas vou ter sim, porque a gente faz duas vezes por ano os testes de força, potência e resistência. E os meus dão praticamente os mesmos de quando tinha 20 anos. Não tenho sentido o peso - analisou.

- O importante é ter consciência do seu corpo, trabalhar com pessoas especializadas. Tem o Rogério (Ceni), o Marcos jogou com idade avançada, o Van der Sar, o Lehmann... - recordou.

Prass acredita que novo elenco do Palmeiras é digno de Série A