icons.title signature.placeholder Bruno Andrade
29/07/2014
19:18

"Podemos testar alguns jogadores que não têm atuado, podemos realizar algumas mudanças na equipe titular. A torcida palmeirense poderá observar jogadores novos".

As palavras do técnico argentino Ricardo Gareca na véspera da partida amistosa diante da Fiorentina (ITA), às 21h50, no Pacaembu, em São Paulo, pela Copa EuroAmericana, certamente alimentaram a esperança do zagueiro uruguaio Victorino, que, enfim, pode estrear pelo Palmeiras.

Contratado no começo de janeiro de 2014, em uma troca com o Cruzeiro envolvendo o atacante Luan, o defensor não joga uma partida oficial desde 23 de setembro de 2012, quando a Raposa perdeu para o São Paulo por 1 a 0, no Morumbi, pela 26 rodada do Campeonato Brasileiro.

Já são 674 dias longe dos gramados. Desde que chegou, Victorino viu 41 jogadores serem aproveitados na equipe. Seis zagueiros (Henrique, Lúcio, Tobio, Gabriel Dias, Tiago Alves e Wellington) foram testados no setor defensivo. O volante Marcelo Oliveira também já foi utilizado no setor. Números que jogam contra o uruguaio, que não tem a escalação garantida para enfrentar os italianos. Gareca, aliás, nem sequer divulgou a lista de relacionados para o duelo.

Com contrato até dezembro deste ano, Victorino recebe aproximadamente R$ 120 mil por mês no Palmeiras. De janeiro até julho, a diretoria alviverde já desembolsou mais de R$ 800 mil com ele. Um custo-benefício negativo, mas que ainda pode ter capítulos positivos. Isso, claro, se o zagueiro, que até 2012 fazia parte do grupo da seleção do Uruguai, der a volta por cima, ganhar a confiança do treinador, entrar em campo e mostrar serviço.

Cinco substituições estarão liberadas para a partida contra a Fiorentina (ITA), 16 jogadores poderão ser utilizados pelo Verdão... É, a tão sonhada oportunidade de Victorino nunca esteve tão próxima como agora. Chegou a hora?