icons.title signature.placeholder Fábio Aleixo
15/07/2014
08:00

A cinco dias da apresentação da Seleção Brasileira masculina de basquete para o início da preparação visando a Copa do Mundo da Espanha, que começará no dia 30 de agosto, a direção da Confederação Brasileira (CBB) ainda tenta resolver a questão do seguro médico do ala-armador Leandrinho. Sem o documento, o jogador não poderá participar de treinamentos que exijam contato.

Leandrinho, que defendeu o Phoenix Suns na última temporada da NBA, está sem time. Assim, a CBB precisaria procurar uma seguradora independente para a elaboração do documento, o que implica em um aumento de valor.

Tal situação já ocorreu com a entidade em 2011, às vésperas do Pré-Olímpico de Mar del Plata (ARG). À época, a NBA passava por um locaute (greve dos patrões).

Caso Leandrinho estivesse vinculado a alguma franquia, o seguro seria feito diretamente com uma empresa indicada pela liga americana, como ocorre com Nenê, Anderson Varejão e Tiago Splitter. Estes três se apresentarão ao técnico argentino Rubén Magnano neste domingo em um hotel de São Paulo.

Uma reunião entre o ala-armador e Vanderlei Mazzuchini, diretor técnico da CBB, está agendada para amanhã para discutir a questão.

– Estamos estudando a melhor solução, pois é muito complicada esta questão de seguro. Preciso também saber do Leandro quais são seus planos. Mas estou confiante de que não teremos problemas – disse Mazzuchini ao LANCE!, ontem.

Em contato com a reportagem, Arthur Barbosa, irmão e representante de Leandrinho, afirmou que o jogador negocia com duas equipes da NBA, mas não quis revelar nomes. Entretanto, ele se mostrou confiante em um acerto brevemente.