icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
14/06/2014
08:30

No dia 29 de agosto do ano passado, o São Paulo chegou à Alemanha para dar início à excursão de oito dias e quatro jogos de três competições diferentes. Hoje, o destino do voo, às 23h55, é a cidade de Orlando, nos Estados Unidos. E diferentemente do desfecho trágico que a viagem de 2013 por pouco não proporcionou, o Tricolor espera lembrar da ida ao Omni Resort como um marco.

– A viagem do ano passado foi para torneios, agora iremos para trabalhar o time. Foram muitos jogos e viagens, enquanto desta vez poderemos descansar – disse o coordenador técnico Milton Cruz à reportagem do LANCE!Net.

A maratona vivida entre Alemanha, Portugal e Japão fez com que o time também tivesse que encarar uma sequência de jogos remarcados do Brasileiro. Mal fisicamente, os comandados de Paulo Autuori sofreram com jejum de vitórias e frequente presença na zona de rebaixamento do torneio.

Se as consequências em campo criaram a maior crise da história do clube, ao menos dos dirigentes do São Paulo puderam comemorar os resultados da viagem de 2013. Estipula-se que os tricolores tenham recebido mais de R$ 5 milhões pelos jogos contra Bayern de Munique (ALE), Milan (ITA) e Benfica (POR), compensando o prejuízo que a Copa Suruga, contra o Kashima Antlers (JAP), traria.

Para a excursão deste ano, o cenário é invertido. A diretoria não espera lucrar nos Estados Unidos, apenas cobrir os gastos da viagem. Já dentro das quatro linhas, o plano é ajustar o time para brigar pelo título do Campeonato Brasileiro.

– Essa viagem não é financeira. Queremos o time concentrado na preparação para o segundo semestre com tranquilidade e bom ambiente – justificou o vice-presidente de administração e finanças, João Paulo de Jesus Lopes ao L!Net.