icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
09/11/2014
08:00

Em meio aos estragos causados pela maratona de jogos do segundo semestre, o São Paulo sabe que pode confiar plenamente em Alan Kardec. Neste domingo, às 17h, o centroavante estará em campo pela 20ª vez seguida em pouco mais de dois meses e será peça fundamental para bater o Vitória na 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A última e única vez em que Kardec não pisou no gramado para uma partida oficial pelo Tricolor foi na derrota por 2 a 1 para o Criciúma na segunda fase da Copa Sul-Americana. E a ausência foi por opção, já que o técnico Muricy Ramalho deixou o camisa 14 os tempo todo no banco de reservas.

Desde que estreou como são-paulino no empate sem gols com o Orlando City (EUA) em 20 de junho, Kardec esteve presente em 29 confrontos e anotou dez gols. A média aproximada de um tento a cada três jogos pode não ser o número dos sonhos para um atacante, mas o ex-palmeirense não depende disso para ter o prestígio que tem.

Além de estar presente em praticamente todas as partidas do São Paulo no segundo semestre, Alan Kardec aparece em praticamente todos os lugares em campo e consegue ser disciplinado a ponto de estar pendurado há 11 jogos. Quando formava dupla com Alexandre Pato, era comum vê-lo ajudando a marcação na lateral direita. Quando joga com Luis Fabiano, cai pelas pontas e busca o jogo no meio.

Como centroavante, se posiciona bem na área e finaliza com frieza. Na última quarta-feira, na classificação suada contra o Emelec (EQU) na Copa Sul-Americana, o centroavante também foi lateral-esquerdo para corrigir os erros constantes de Alvaro Pereira e importantíssimo para conter o bombardeio aéreo dos equatorianos.