icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Russel Dias
23/07/2014
07:10

Robinho quer voltar ao Santos, que sonha com o retorno de seu ídolo. Seria simples se a negociação envolvesse apenas sentimentos e não cifrões. Nenhuma das partes aceita ceder em relação ao dinheiro e a ida do craque à Vila segue difícil. Enquanto as negociações se arrastam em mais um capítulo desta novela que já vem de outros anos, o jogador e dirigentes do clube trocam elogios e juras de amor, alimentando a esperança do torcedor.

O craque quer receber R$ 800 mil por mês até o fim do ano, período em que ficaria cedido pelo Orlando City, dos Estados Unidos por empréstimo. O estafe do Rei do Drible não confirma a quantia e avisa:

– Robinho vai priorizar o clube que der prioridade a ele.




A frase é da advogada Marisa Alija Ramos, representante do atleta, que ressalta o carinho que o atacante tem pelo Santos, mas diz que isso não pesará tanto nas negociações.

Se Robinho não faz concessões para defender o clube do coração, o Santos também “joga para a torcida”. Na última terça-feira, Zinho, gerente de futebol do clube, concedeu entrevista coletiva e passou a maior parte do tempo prestando explicações sobre este caso. O dirigente teceu elogios ao craque, mas em todas respostas citou “entraves financeiros”.

O vazamento aos jornalistas, conselheiros e outras pessoas de algumas exigências de Robinho, como o pagamento de cerca de R$ 400 mil a seu pai, também é uma das estratégias da diretoria do Santos para justificar um eventual fracasso.

Com cautela e certo pessimismo, o Peixe segue monitorando a saída do jogador do Milan. Para Robinho voltar, alguém terá de ceder.