icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/12/2013
10:07

O rebaixamento do Vasco para a Série B do Campeonato Brasileiro – o segundo na gestão do presidente Roberto Dinamite – pode ser considerado uma tragédia anunciada. A péssima administração foi a principal culpada para o Gigante da Colina novamente amargar a Segunda Divisão.

O declínio do Vasco teve início ainda no ano passado. O Cruz-Maltino não soube aproveitar o “boom” da excelente temporada de 2011, quando conquistou a Copa do Brasil, foi vice-Brasileiro e chegou às semifinais da Sul-Americana. Após ser eliminado para o Corinthians na Libertadores, o time sofreu desmanches em sequência até o início de 2013.

Internamente, a grande quantidade de dívidas deixaram o Vasco insustentável. Salários atrasados tornaram-se rotina e culminaram em greves e saídas de atletas.

A política também serviu para afundar. Até mesmo antigos aliados de Roberto Dinamite abandonaram o barco que afundava. Para o futebol, o presidente apostou no treinador René Simões como diretor-executivo. O agora candidato a político realizou negociações frustradas e, em São Januário, muitos colocam grande parte do rebaixamento na conta dele.

Houve também uma excessiva troca no comando técnico e diversos jogadores com pouco compromisso com o clube. Neste mar de lambanças, o torcedor chorou, os culpados ficaram evidentes e a esperança é de que alguém surja para reerguer o clube.