icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
22/07/2013
08:02

Nos anos 2000, o Brasil construiu uma trajetória vencedora e ganhou o rótulo de 'a seleção a ser batida' no vôlei masculino. Atualmente, este título parece ter passado para as mãos da Rússia, campeã da Liga Mundial com uma vitória soberba sobre a Seleção Brasileira por 3 a 0 em Mar del Plata. Esta é a impressão daqueles que acompanham a modalidade e também é a opinião do técnico Bernardinho.

Após a derrota na final da liga, neste domingo, Bernardinho reconheceu a força do adversário, também detentor do título olímpico. Ao lado do treinador russo Andrey Voronkov na entrevista coletiva no Ginásio Poliesportivo Islas Malvinas, o brasileiro fez diversos elogios à Rússia e à grande quantidade de jogadores que eles vêm revelando. E ressaltou que os russos são a equipe a ser vencida no momento.

- A Rússia tem uma fábrica de jogadores. Ganharam recentemente um Mundial Infanto-Juvenil. E nós atualmente temos falta de jogadores em algumas posições. Precisamos de tempo para trabalhar. E ao longo da Liga Mundial perdemos jogadores como o Vissotto e o Éder. Hoje, a Rússia é a equipe a ser batida, a ser vencida. Mas o que me dá confiança é que em 2009 vencemos eles na semifinal da Liga Mundial por 3 a 0 e depois fomos campeões - contou o treinador, fazendo referência ao último ciclo olímpico, em que o Brasil começou melhor do que o adversário com a vitória de 2009, mas depois foi superado na decisão da Olimpíada de Londres.

Sobre a derrota, o treinador brasileiro analisou que sua equipe não soube escapar das armadilhas impostas pela Rússia. Ele também lamentou o fato de alguns jovens da Seleção (sem citar nomes) não terem rendido o máximo, mas entendeu também o lado dos atletas por causa da falta de experiência. 

- A Rússia fez uma grande partida. No primeiro set tivemos algumas chances, mas não fomos competentes para trazer isso a nosso favor. Alguns jogadores jovens sentiram um pouco e não jogaram seu máximo, mas isso é normal. Não fomos competentes em sair das dificuldades. Eles trabalharam muito bem o sistema defesa e bloqueio - falou Bernardinho.

*O editor viaja a convite da FIVB

Brasil perde para Rússia por 3 a 0 em Mar del Plata

Nos anos 2000, o Brasil construiu uma trajetória vencedora e ganhou o rótulo de 'a seleção a ser batida' no vôlei masculino. Atualmente, este título parece ter passado para as mãos da Rússia, campeã da Liga Mundial com uma vitória soberba sobre a Seleção Brasileira por 3 a 0 em Mar del Plata. Esta é a impressão daqueles que acompanham a modalidade e também é a opinião do técnico Bernardinho.

Após a derrota na final da liga, neste domingo, Bernardinho reconheceu a força do adversário, também detentor do título olímpico. Ao lado do treinador russo Andrey Voronkov na entrevista coletiva no Ginásio Poliesportivo Islas Malvinas, o brasileiro fez diversos elogios à Rússia e à grande quantidade de jogadores que eles vêm revelando. E ressaltou que os russos são a equipe a ser vencida no momento.

- A Rússia tem uma fábrica de jogadores. Ganharam recentemente um Mundial Infanto-Juvenil. E nós atualmente temos falta de jogadores em algumas posições. Precisamos de tempo para trabalhar. E ao longo da Liga Mundial perdemos jogadores como o Vissotto e o Éder. Hoje, a Rússia é a equipe a ser batida, a ser vencida. Mas o que me dá confiança é que em 2009 vencemos eles na semifinal da Liga Mundial por 3 a 0 e depois fomos campeões - contou o treinador, fazendo referência ao último ciclo olímpico, em que o Brasil começou melhor do que o adversário com a vitória de 2009, mas depois foi superado na decisão da Olimpíada de Londres.

Sobre a derrota, o treinador brasileiro analisou que sua equipe não soube escapar das armadilhas impostas pela Rússia. Ele também lamentou o fato de alguns jovens da Seleção (sem citar nomes) não terem rendido o máximo, mas entendeu também o lado dos atletas por causa da falta de experiência. 

- A Rússia fez uma grande partida. No primeiro set tivemos algumas chances, mas não fomos competentes para trazer isso a nosso favor. Alguns jogadores jovens sentiram um pouco e não jogaram seu máximo, mas isso é normal. Não fomos competentes em sair das dificuldades. Eles trabalharam muito bem o sistema defesa e bloqueio - falou Bernardinho.

*O editor viaja a convite da FIVB

Brasil perde para Rússia por 3 a 0 em Mar del Plata