icons.title signature.placeholder Caio Carrieri e Felipe Bolguese
20/06/2014
17:20

Dois paulistanos da Vila Formosa, Zona Leste de São Paulo, têm grandes chances de terem suas imagens divulgadas neste sábado para bilhões de espectadores da Copa do Mundo por todo o planeta. Os irmãos Vinícius Ferazzini e Guilherme Ferazzini encomendaram dois cartazes especialmente para exibi-los no confronto entre Alemanha e Gana, às 16h, no Castelão, pelo Grupo G, a única partida a que assistirão in loco.

A temática das mensagens é a possibilidade de Miroslav Klose igualar Ronaldo como recordista de gols nas histórias dos Mundiais. O experiente alemão, de 36 anos e reserva da sua equipe, marcou 14 vezes em três torneios (2002, 2006 e 2010) e está apenas a uma bola na rede de empatar com o ex-camisa 9 do Brasil. Vinícius, entusiasta de Klose, estenderá a faixa "Sorry Ronaldo", ou "Desculpe Ronaldo", em tradução livre.

- Fiz isso pelo espírito esportivo da Copa. O que vale é a festa. É uma oportunidade única interagir com pessoas de diferentes culturas - disse o irmão mais velho, de 27 anos, analista de TI e palmeirense, durante passeio por uma das praias de Fortaleza (CE) vestido com a camisa da tricampeã.

Do outro lado da rivalidade familiar, o são-paulino de 24 anos empunhará o recado "Aqui não, Klose".

- Foi mais na intenção de manter os recordes aqui no Brasil e secar o nosso adversário com potencial de passar o Ronaldo na artilharia de todas as Copas. Gosto muito da carreira do Ronaldo, e nossa intenção foi fazer a placa para a gente se divertir com os amigos. Se, por acaso, aparecer na transmissão, vai ser ainda melhor - declarou.

Sem estar 100% por conta de lesões sofridas pela Lazio (ITA) na última temporada, a sombra do Fenômeno não saiu do banco na goleada da Alemanha na estreia por 4 a 0 sobre Portugal, em Salvador (BA). Thomas Müller exerceu a função de falso 9 e anotou três dos quatro gols. O camisa 11 começará novamente entre os reservas no fim de semana.

Aposentado, membro do COL e comentarista da TV Globo no Mundial, Ronaldo, que alcançou o feito contra Gana na Copa de 2006, na Alemanha, já pediu aos torcedores que estiverem no Castelão para secar a sua ameaça. Não será o caso de Vinícius.