icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
13/07/2014
08:04

Apenas uma nova catástrofe promovida pela Alemanha impedirá Sergio Romero de fazer história pela Argentina hoje à tarde no Maracanã. Herói da classificação à final nos pênaltis contra a Holanda, o goleiro está a dois minutos de alcançar o melhor desempenho na sua posição pelo país na história das Copas do Mundo.

Sem ser vazado desde o último jogo da primeira fase, na vitória por 3 a 2 sobre a Nigéria, o Chiquito acumula 373 minutos de invencibilidade sob as traves alvicelestes. O recorde pertence a Ubaldo Fillol, lenda argentina e campeão mundial em 1978 dentro de casa.

Naquela edição, Fillol não buscou a bola no fundo da sua meta entre a derrota por 1 a 0 para a Itália na primeira fase e o gol de empate do holandês Nanninga nos instantes finais da decisão, que foi resolvida na prorrogação. Kempes e Bertoni fecharam o 3 a 1 no tempo extra, e os hermanos faturaram o bi. Foram 374 minutos imbatível, números contabilizados em cinco partidas, sendo três delas sem permitir que o adversário estufasse a rede.

Romero pode atingir o feito com a mesma meia dezena de jogos, mas sua estatística de tempo foi turbinada por duas prorrogações. Uma diante da Suíça nas oitavas de final, em que Di María garantiu a magra vitória por 1 a 0, e outra na última quarta-feira contra a Holanda, cujo placar terminou inalterado, e os europeus acabaram derrotados graças às defesas do camisa 1 nos pênaltis cobrados por Vlaar e por Sneijder.

Campeão mundial sub-20 em 2007 e da Olimpíada de 2008 e candidato a melhor arqueiro da Copa, Romero ainda igualará hoje as 54 apresentações que Fillol tem pela Argentina, tornando-se o goleiro que mais defendeu sua pátria. Marcas de vencedor.


Ubaldo Fillol é considerado um dos melhores goleiros da história da Argentina