icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
26/07/2013
15:35

Jonathan Santos conquistou sua segunda medalha no Mundial de Atletismo Paralímpico, em Lyon (FRA), nesta sexta-feira. Dessa vez, ele ficou com a medalha de ouro na prova do lançamento de disco, da catetoria F41 (para baixa estatura). Ele já tinha ficado com a prata no arremesso de peso na mesma categoria.

Santos levou a prova ao atingir 43m11, sua melhor marca na carreira. O curioso é que a prova contou com apenas dois competidores. Assim, o polonês Bartosz Tyszkowski ficou em segundo, com 42m70.

- Treinei muito tempo para esse ouro acontecer. Agradeço muito o apoio de todos, principalmente os atletas da delegação e aos brasileiros que sempre me falaram que eu era capaz de conseguir o ouro neste Mundial. No último arremesso que eu tinha para fazer, eu estava atrás do polonês, em segundo lugar. Pensei em tudo o que eles me falaram e lancei com toda a força para conquistar esse ouro e deixar o polonês para trás. Dedico esse título para toda torcida brasileira e em especial ao meu avó que está doente com problema nos rins em Maceió e sei que ele estava torcendo muito por mim - afirmou o atleta, que se emocionou.

MAIS MEDALHAS
Nesta sexta-feira, Ariosvaldo Silva, o Parré, ainda conquistou a medalha de bronze nos 100m, classe T53 (para cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações). Ele terminou a prova em 15s22. O ouro foi do canadenses Brent Lakatos, com 14s51, e a prata ficou com o britânico Mickey Bushell, com 15s12.

Essa é a primeira vez que o Brasil conquista uma medalha nessa categoria em provas de pistas.

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro

Jonathan Santos conquistou sua segunda medalha no Mundial de Atletismo Paralímpico, em Lyon (FRA), nesta sexta-feira. Dessa vez, ele ficou com a medalha de ouro na prova do lançamento de disco, da catetoria F41 (para baixa estatura). Ele já tinha ficado com a prata no arremesso de peso na mesma categoria.

Santos levou a prova ao atingir 43m11, sua melhor marca na carreira. O curioso é que a prova contou com apenas dois competidores. Assim, o polonês Bartosz Tyszkowski ficou em segundo, com 42m70.

- Treinei muito tempo para esse ouro acontecer. Agradeço muito o apoio de todos, principalmente os atletas da delegação e aos brasileiros que sempre me falaram que eu era capaz de conseguir o ouro neste Mundial. No último arremesso que eu tinha para fazer, eu estava atrás do polonês, em segundo lugar. Pensei em tudo o que eles me falaram e lancei com toda a força para conquistar esse ouro e deixar o polonês para trás. Dedico esse título para toda torcida brasileira e em especial ao meu avó que está doente com problema nos rins em Maceió e sei que ele estava torcendo muito por mim - afirmou o atleta, que se emocionou.

MAIS MEDALHAS
Nesta sexta-feira, Ariosvaldo Silva, o Parré, ainda conquistou a medalha de bronze nos 100m, classe T53 (para cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações). Ele terminou a prova em 15s22. O ouro foi do canadenses Brent Lakatos, com 14s51, e a prata ficou com o britânico Mickey Bushell, com 15s12.

Essa é a primeira vez que o Brasil conquista uma medalha nessa categoria em provas de pistas.

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro