icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/04/2014
17:03

Crítica e a pior de todos os tempos foram os adjetivos usados pelo vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), o australiano John Coates, para classificar a organização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016. Em resposta ao dirigente, o comitê organizador carioca afirmou que o tempo para esse tipo de declaração há muito já passou.

– É a pior situação que já vivi. Estamos preocupados, porque eles não estão preparados em muitas coisas. Teremos de fazer acontecer e é o que o COI está tentando – afirmou Coates, ao participar de um Fórum Olímpico, na Austrália.

Presidente do Comitê Olímpico da Austrália (AOC), Coates também é um dos quatro vice-presidentes do COI e ressaltou que, pela primeira vez, a entidade internacional foi obrigada a tomar medidas para resguardar os Jogos. Mas descartou a possibilidade de transferir o evento para outra cidade.

– O COI formou uma força-tarefa especial para tentar acelerar os preparativos, mas a situação é crítica. Pior até que em Atenas em 2004. Em Atenas tínhamos que tratar com um governo e algumas responsabilidades municipais. Aqui (Rio) há três. Existe pouca coordenação entre o governo federal, o estadual e o municipal, que é responsável por grande parte da construção - explicou Coates.

O dirigente australiano conhece bem a situação do Rio. Afinal, ele é um dos integrantes da Comissão de Coordenação do COI que supervisiona a organização carioca.

Em resposta às críticas do vice-presidente do COI, o Comitê Organizador Rio-2016 se manifestou por meio de nota. No documento, a entidade sutilmente sugeriu que o australiano calasse a boca e se concentrasse no auxílio à organização.

– Já passamos da hora em que discussões genéricas sobre o progresso da preparação possam contribuir com a evolução da jornada rumo aos Jogos. É tempo de focarmos mais no trabalho e no engajamento – escreveu o Rio-2016.

No documento, o Rio-2016 salientou os progressos realizados nos últimos dias, como o lançamento das licitações do Complexo Esportivo de Deodoro. E frisou que cumprirá sua missão de realizar Jogos Olímpicos e Paralímpicos excelentes e dentro do prazo.

______________________________

Confira abaixo a íntegra da nota do Comitê Rio-2016:

"Já passamos da hora em que discussões genéricas sobre o progresso da preparação possam contribuir com a evolução da jornada rumo aos Jogos. É tempo de focarmos mais no trabalho e no engajamento. Os anúncios recentes do orçamento para os projetos de infraestrutura e legado, além do lançamento da licitação para as obras do Parque Olímpico de Deodoro são iniciativas cruciais e inequívocos sinais de avanço. O trabalho em conjunto com as três esfera do governo, Federal, Estadual e Municipal, está funcionando. O suporte do Comitê Olímpico Internacional também.

Temos uma missão histórica: organizar os primeiros Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Brasil e da América do Sul. Vamos cumpri-la. Em 2016 o Rio organizará Jogos excelentes que serão entregues absolutamente dentro do prazo e dos orçamentos já anunciados."