icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
09/04/2014
19:34

A renovação de Alan Kardec com o Palmeiras, que estava muito perto de ser concretizada (salários acertados e com pendências a serem finalizadas), teve uma reviravolta. É o que afirma o pai do atacante, que também se chama Alan Kardec.

O Palmeiras já encaminhou há algum tempo a forma de pagamento dos 4 milhões de euros (cerca de R$ 12,5 milhões) que o Benfica (POR) pede para vender o jogador. Restava apenas o acerto salarial com Kardec, e os representantes do camisa 14, que está emprestado até 30 de junho, já davam a negociação como concluída. Ao site do Diário de S. Paulo e, em seguida ao LANCE!Net, ele mudou o tom nesta quarta.

- Eu estava tão otimista que considerava essa negociação praticamente sacramentada. Só que os caras, por muito pouca coisa, não querem acertar. Pô, você fala para mim: "Vou negociar contigo". Eu peço dez. E o outro vem e fala que paga três. Não tem uma lógica isso, tem? Não sai do lugar. Está travado - declarou.

Depois de ao menos duas ofertas salariais recusadas, o estafe de Kardec acreditava haver um consenso quanto ao valor que o atleta deveria receber: o teto salarial da gestão Paulo Nobre, que está um pouco abaixo dos R$ 350 mil mensais desembolsados para o volante Wesley, já contando os ganhos máximos por produtividade. Dessa forma, seria necessário resolver somente detalhes burocráticos do contrato, mas o pai do artilheiro diz que o clube formalizou uma proposta bem abaixo do esperado na última reunião.

VEJA A ENTREVISTA COMPLETA COM ALAN KARDEC 'PAI':

Por que houve essa reviravolta?
Ontem (terça-feira) eles ficaram de fazer uma contraproposta, algo até que nem deveria haver mais pelo valor que nós pedimos. Eles fizeram uma contraproposta que praticamente deixou no mesmo nível da conversa inicial da parte deles. Nós colocamos um número que é muito baixo, mesmo somando o fixo com produtividade. É um número mais baixo do que se imagina. Eles estão querendo um contrato que o salário de grande parte é produtividade e querem alocar no fim a maior parte do contrato os valores. Nós nem respondemos. Vamos responder o quê?

Houve outros interessados?
Um clube do Brasil falou em R$ 80 mil a mais, mas não abrimos conversa com eles, com a expectativa de fechar com o Palmeiras. O número que consideramos ideal com o Palmeiras é R$ 80 mil a menos do que consideramos ideal com outros clubes. Dentro do próprio Palmeiras não vai ser o segundo, o terceiro salário. Isso eu posso te garantir.

A negociação está encerrada?
Não é que está encerrada a negociação, mas vamos falar o quê? O ruim de você pedir pouco... Nós deveríamos ter pedido muito. Nós objetivamos um acerto imediato.

Qual foi a reação do jogador?
Ele estava muito feliz, mas já está ficando decepcionado. Ele já está pensando que o clube não está tão interessado nele, talvez. Enquanto nós não esgotarmos todas as possibilidades com o Palmeiras, nós não vamos abrir negociação.

Há um prazo para resolver?
O prazo é a corrida contra o relógio que o Palmeiras tem até o fim de maio para confirmar essa compra.