icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
24/11/2014
15:02

Em maio deste ano, Renan Barão foi surpreendido por TJ Dillashaw e perdeu o cinturão dos galos do UFC, perdendo assim uma invencibilidade de nove anos. Em agosto, aconteceria a revanche, mas o brasileiro teve problemas na perda de peso e não pôde se apresentar. Mas no que depender do atleta, os dois ainda vão se reencontrar pelo título da divisão e a história será diferente.

Escalado para enfrentar Mitch Gagnon, em Barueri, no dia 20 de dezembro, Barão foi questionado sobre um futuro embate contra o campeão durante um encontro com a imprensa na academia Nova União. O potiguar tratou de provocá-lo e não acredita que o atual campeão teria coragem de o enfrentar dentro do Brasil.

- Seria ótimo (encarar o TJ no Brasil). Acho que ele ia ficar todo cagado de vir aqui. Lutar em casa é fácil, quero ver aqui. Mas estou tranquilo e num futuro próximo espero encontrá-lo novamente para ele ver o melhor Barão que existe. Espero que ele aproveite bem o peso do cinturão porque em breve eu trago ele de volta - afirmou o peso galo.

Recentemente, Dillashaw afirmou que gosstaria de enfrentar José Aldo, companheiro de Barão e atual campeão dos penas, categoria acima a dele. Para o atleta tupiniquim, o americano anda falando muita besteira e acredita que em um novo final caso lutem novamente, mas descartou falar uma promoção da peleja fora do octógono.

Renan Barão enfrentou Dillashaw no UFC 173, em maio (FOTO: UFC)

- O Dillashaw anda falando besteira demais e quando nos enfrentarmos de novo vai ser diferente. Pode ter certeza que a próxima luta será outra. Ele vai ver qual é o verdadeiro Renan Barão. Seria bom enfrentá-lo porque poderia dar uma apimentada na luta, seria uma briga boa, mas não gosto de soltar piadinha fora. Meu trabalho é lá dentro - disse.

Barão ainda avaliou as chances de Dominick Cruz, que deve ser o próximo desafiante ao título dos galos em disputa de cinturão ainda sem data e local para acontecer em 2015.

- Acho que não (o Dillashaw não vence). O Cruz tem mais jogo, é mais experiente e leva essa - finalizou o lutador, que tem sete vitórias e apenas uma derrota no Ultimate.