icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/04/2014
19:04

A estreia do Chapecoense na Série A foi contra o Coritiba de Celso Roth. Bem armado defensivamente, o Coxa deu poucos espaços para o Verdão do Oeste, que quase não conseguiu criar. Régis, camisa 10 da equipe, admitiu dificuldades na armação das jogadas, mas acredita que essa solidez defensiva não vai se repetir em todos os jogos do Brasileirão.

- Não senti, eu estava procurando bem o jogo, mas como o treinador disse, a marcação estava fixa em mim. Procurei sair e sei que isso não vai acontecer sempre. A principal dificuldade foi a marcação. Eles vieram bem fechadinhos, a gente teve que procurar as laterais, não foi possível chegar ao gol e o empate não foi ruim. Tem que movimentar no momento certo, os volantes avançarem nas costas e o adversário vai sempre procurar o camisa 10, que vai articular o jogo. Independente disso, eu tenho que fazer meu trabalho para conseguir as vitórias - analisou.

O jogador do time de Chapecó acredita que, no próximo confronto de sua equipe na competição, diante do Sport, terá mais espaço para jogar. Como o Leão é quem joga em casa, acredita que dará espaços para contragolpes:

- Vai ser diferente porque vai ser na casa deles. Eles vão sair mais para o jogo e a gente, na marcação certinha, pode usar o contra-ataque. Qualquer pontinho lá seria bom, e os três pontos seriam ótimos.

A partida entre Sport e Chapecoense acontece no próximo domingo, às 18h30, na Ilha do Retiro, pela segunda rodada do Brasileirão.