icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
24/04/2014
08:56

Após ótimo desempenho em 2013, a temporada de 2014 apresentou-se ao Botafogo com um grande desafio: buscar o bicampeonato carioca e fazer uma boa campanha na Libertadores. Para isso, era necessário que o elenco, que perdeu jogadores importantes já na virada do ano, se reforçasse.

Antes de acertar com Emerson Sheik, a diretoria foi ao mercado e, de início, trouxe 13 jogadores. Nenhum de peso. A aposta foi em nomes pouco conhecidos ou que estavam em baixa. Em pouco mais de quatro meses, tudo foi por água abaixo e até o treinador foi trocado. Provas mais do que suficientes de que o planejamento não deu certo.

E MAIS
> Sindiclubes é acionado e vai entrar com ação para quitar salários no Botafogo
> VÍDEO Gabriel define forma de trabalho de Vagner Mancini
> VÍDEO Sheik tem dia duro de trabalho visando estreia pelo Botafogo

L!TV:
> Gabriel revela até onde Botafogo pode chegar no Brasileirão
> Gabriel define forma de trabalho de Vagner Mancini
> Sheik tem dia duro de trabalho visando estreia pelo Botafogo

Além de não renderem, poucos jogadores foram aproveitados nos momentos mais importantes. Apenas três dos 13 reforços foram titulares na campanha na Libertadores: Jorge Wagner, Wallyson e Ferreyra. Indício de que a quantidade foi priorizada em relação à qualidade. 

E o pior, alguns desses nomes, como zagueiro uruguaio Mario Risso e os laterais Alex e Anderson, estão treinando em separado e devem ser negociados em breve.

Apesar das evidências de que o trabalho esteve longe de ser benfeito, o gerente técnico Sidnei Loureiro, em entrevista coletiva recente, declarou que não há arrependimento com o planejamento realizado. Assim como o volante Gabriel, que admite a decepção com o que foi feito pela própria equipe até o momento.

– No papel seria um planejamento excelente, mas sabemos que tem que ser também na execução. Os jogadores têm uma grande parcela de responsabilidade. Se os resultados fossem bons, o planejamento seria excelente. Agora não podemos pensar no que passou, é bola pra frente – disse Gabriel, ontem, em coletiva.

Contratações 2014

Helton Leite - Chegou a roubar a vaga de Renan, mas já perdeu. Atuou em cinco jogos.

Alex - O lateral atuou em seis jogos. Treina à parte e aguarda negociação.

Mario Risso - Fez apenas um jogo, mas já está na lista de atletas dispensáveis.

Anderson - Após lesão, aguarda negociação. Fez apenas dois jogos pelo clube.

Junior Cesar - Atuou em oito partidas. Está em fase de recuperação.

Bolatti - Apesar do status e de ter atuado em 16 jogos, ainda é reserva no Botafogo.

Airton - Participou de nove partidas, a maioria com o time reserva.

Rodrigo Souto - Jogou oito vezes, mas está no departamento médico há dois meses.

Jorge Wagner - Atuou em 13 jogos e marcou dois gols. É titular no Botafogo.

Ronny - Atuou em apenas dois jogos. Sofreu grave lesão no joelho esquerdo.

Wallyson - Marcou quatro gols em 13 jogos. Começou bem, mas caiu de produção.

Zeballos - Fez dois gols em quatro jogos. Está em alta e pode ganhar vaga no time.

Ferreyra - Conquistou parte da torcida com entrega. Tem cinco gols em 11 partidas.

Emerson - Fora de forma, o atacante recém-contratado ainda não estreou.