icons.title signature.placeholder Luiz Signor
icons.title signature.placeholder Luiz Signor
30/08/2015
07:10

Rebaixamento fatídico pela primeira vez em sua história no Campeonato Goiano, queda para a Série C do Campeonato Brasileiro, jogadores e demais funcionários com meses de salários atrasados... O ano de 2014 foi, sem dúvida, o pior da história do Vila Nova. Mas o tradicional time de Goiânia, 15 vezes campeão estadual e vencedor da Série C de 1996, renasce nesta temporada: já conquistou o título da Divisão de Acesso no Estadual e terá, neste domingo, a chance de voltar à liderança do Grupo A da Terceirona após o triunfo do Fortaleza no sábado. O rival será o América de Natal, às 18, na Arena das Dunas.

Tais feitos estão sendo alcançados com o auxílio da torcida vilanovense que, literalmente, colocou a mão na massa para ajudar o clube. No começo de junho, os torcedores foram convidados para ajudar na pintura das arquibancadas do Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga para que estivesse em boas condições para receber alguns jogos do time na Série C – outras obras foram realizadas também. Nas arquibancadas, a dedicação não é diferente. O Vila tem os três melhores públicos da Série C, além da melhor média: 13.701 pagantes.

Vila em ação diante do Fortaleza no Serra Dourada (Foto: Dilvulgação/Vila Nova)

Em jullho houve a possibilidade de atletas serem dispensados em razão das dívidas acumuladas. O Vila terminaria a Série C com a equipe Sub-20. Porém, torcedores – incluindo grandes empresários – e conselheiros contribuíram financeiramente. A dívida de R$ 700 mil já foi 70% sanada (clube deve cerca de R$ 53 milhões no total). O risco da debandada deixou de existir.

– Os feitos do time são frutos de uma sinergia entre diretoria, comissão e jogadores. Os atletas sabem da importância que têm para o Vila. Muitos tiveram propostas, mas não saíram. Além disso, tudo é feito com transparência, não prometemos o que não podemos cumprir e sabemos que futebol é feito para a torcida – disse Guto Veronez, que assumiu como presidente do Vila há nove meses, ao LANCE!.

O RENASCIMENTO DO VILA NOVA

Um 2014 para ser esquecido!

O Vila Nova foi rebaixado pela primeira vez no Goiano em 2000, após o time se recusar a enfrentar o Goiás na decisão do Estadual, em protesto contra a arbitragem. O título da Divisão de Acesso foi conquistado no mesmo ano. Queda no ano passado foi a primeira em campo. Vila venceu apenas três dos 13 jogos, sendo rebaixado com a pior campanha. Já na Série B do, time chegou a reagir após péssimo início, mas a queda veio após 26 derrotas em 38 jogos.

Título da Divisão de Acesso

O 2015 de renascimento do Vila começou na Divisão de Acesso do Campeonato Goiano, a Segundona. Tigrão conquistou o título contando com a boa presença da torcida em vários jogos no Serra Dourada. Time levou mais torcedor que os rivais Goiás e Atlético na elite estadual. Foram, por exemplo, 12.999 pagantes diante do Goiânia e 9.845 contra o Anápolis. Técnico Márcio Fernandes substituiu Waldimir Araújo, demitido após dois jogos pelo time não ter mostrado o futebol esperado e a sua filosofia de trabalho não ter agradado.

Dificuldades vencidas e boa campanha na Série C

A possibilidade de o Vila terminar a disputa da Série C com o time sub-20 foi superada após torcedores colaboraram financeiramente com o clube. Vila soma tem 69,2% de aproveitamento no Grupo A da Terceirona. Foram apenas duas derrotas em 13 partidas. Elenco conta com jogadores experientes, como o volante Robston e o atacante Frontini.

Rebaixamento fatídico pela primeira vez em sua história no Campeonato Goiano, queda para a Série C do Campeonato Brasileiro, jogadores e demais funcionários com meses de salários atrasados... O ano de 2014 foi, sem dúvida, o pior da história do Vila Nova. Mas o tradicional time de Goiânia, 15 vezes campeão estadual e vencedor da Série C de 1996, renasce nesta temporada: já conquistou o título da Divisão de Acesso no Estadual e terá, neste domingo, a chance de voltar à liderança do Grupo A da Terceirona após o triunfo do Fortaleza no sábado. O rival será o América de Natal, às 18, na Arena das Dunas.

Tais feitos estão sendo alcançados com o auxílio da torcida vilanovense que, literalmente, colocou a mão na massa para ajudar o clube. No começo de junho, os torcedores foram convidados para ajudar na pintura das arquibancadas do Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga para que estivesse em boas condições para receber alguns jogos do time na Série C – outras obras foram realizadas também. Nas arquibancadas, a dedicação não é diferente. O Vila tem os três melhores públicos da Série C, além da melhor média: 13.701 pagantes.

Vila em ação diante do Fortaleza no Serra Dourada (Foto: Dilvulgação/Vila Nova)

Em jullho houve a possibilidade de atletas serem dispensados em razão das dívidas acumuladas. O Vila terminaria a Série C com a equipe Sub-20. Porém, torcedores – incluindo grandes empresários – e conselheiros contribuíram financeiramente. A dívida de R$ 700 mil já foi 70% sanada (clube deve cerca de R$ 53 milhões no total). O risco da debandada deixou de existir.

– Os feitos do time são frutos de uma sinergia entre diretoria, comissão e jogadores. Os atletas sabem da importância que têm para o Vila. Muitos tiveram propostas, mas não saíram. Além disso, tudo é feito com transparência, não prometemos o que não podemos cumprir e sabemos que futebol é feito para a torcida – disse Guto Veronez, que assumiu como presidente do Vila há nove meses, ao LANCE!.

O RENASCIMENTO DO VILA NOVA

Um 2014 para ser esquecido!

O Vila Nova foi rebaixado pela primeira vez no Goiano em 2000, após o time se recusar a enfrentar o Goiás na decisão do Estadual, em protesto contra a arbitragem. O título da Divisão de Acesso foi conquistado no mesmo ano. Queda no ano passado foi a primeira em campo. Vila venceu apenas três dos 13 jogos, sendo rebaixado com a pior campanha. Já na Série B do, time chegou a reagir após péssimo início, mas a queda veio após 26 derrotas em 38 jogos.

Título da Divisão de Acesso

O 2015 de renascimento do Vila começou na Divisão de Acesso do Campeonato Goiano, a Segundona. Tigrão conquistou o título contando com a boa presença da torcida em vários jogos no Serra Dourada. Time levou mais torcedor que os rivais Goiás e Atlético na elite estadual. Foram, por exemplo, 12.999 pagantes diante do Goiânia e 9.845 contra o Anápolis. Técnico Márcio Fernandes substituiu Waldimir Araújo, demitido após dois jogos pelo time não ter mostrado o futebol esperado e a sua filosofia de trabalho não ter agradado.

Dificuldades vencidas e boa campanha na Série C

A possibilidade de o Vila terminar a disputa da Série C com o time sub-20 foi superada após torcedores colaboraram financeiramente com o clube. Vila soma tem 69,2% de aproveitamento no Grupo A da Terceirona. Foram apenas duas derrotas em 13 partidas. Elenco conta com jogadores experientes, como o volante Robston e o atacante Frontini.