icons.title signature.placeholder Luiz Carlos Ferreira*
icons.title signature.placeholder Luiz Carlos Ferreira*
24/07/2013
17:14

As mudanças da última edição do Rali dos Sertões para este ano foram o principal assunto da coletiva de imprensa da competição, realizada em Goiânia (GO). A padronização do GPS e o circuito com muitos trechos de serra foram as maiores alterações destacadas pelos pilotos.

Campeão na categoria carros T1 FIA, do ano passado, que teve as dunas do Maranhão como um dos palcos (também passou por Tocantins, Piauí, Pernambuco e Ceará), o francês Stéphane Peterhansel comparou as duas provas. Agora, os trechos de serra com cascalho e terra serão predominantes nas etapas, que atravessarão as cidades entre Goiás e Tocantins.

- Ano passado foi uma grande experiência. Agora é um circuito muito técnico. Não é fácil fazer essa corrida. Ano passado foi uma disputa muito boa com o Guiga Spinelli - destacou o francês, que venceu 11 vezes o Rali Paris-Dakar.

Outro campeão que voltou ao Brasil para correr no rali, o espanhol Marc Coma, que venceu nas motos em 2010, elogiou o nível dos pilotos nacionais.

- Estou muito feliz em estar aqui novamente. A última vez foi em 2010. A competição agora não será fácil. Os brasileiros são muito rápidos e vou focar em correr aqui - analisou Coma.

Nesta quinta, será realizado o prólogo, etapa que define o grid de largada para os pilotos. O rali começa a valer na sexta, com a saída em Goiânia, a partir de 12h. A chegada também será na cidade, no dia 3 de agosto, repetindo a prova de 2005. Disputarão o campeonato motos, quadriciclos, UTVs, carros e caminhões.

*O repórter viaja a convite da organização

As mudanças da última edição do Rali dos Sertões para este ano foram o principal assunto da coletiva de imprensa da competição, realizada em Goiânia (GO). A padronização do GPS e o circuito com muitos trechos de serra foram as maiores alterações destacadas pelos pilotos.

Campeão na categoria carros T1 FIA, do ano passado, que teve as dunas do Maranhão como um dos palcos (também passou por Tocantins, Piauí, Pernambuco e Ceará), o francês Stéphane Peterhansel comparou as duas provas. Agora, os trechos de serra com cascalho e terra serão predominantes nas etapas, que atravessarão as cidades entre Goiás e Tocantins.

- Ano passado foi uma grande experiência. Agora é um circuito muito técnico. Não é fácil fazer essa corrida. Ano passado foi uma disputa muito boa com o Guiga Spinelli - destacou o francês, que venceu 11 vezes o Rali Paris-Dakar.

Outro campeão que voltou ao Brasil para correr no rali, o espanhol Marc Coma, que venceu nas motos em 2010, elogiou o nível dos pilotos nacionais.

- Estou muito feliz em estar aqui novamente. A última vez foi em 2010. A competição agora não será fácil. Os brasileiros são muito rápidos e vou focar em correr aqui - analisou Coma.

Nesta quinta, será realizado o prólogo, etapa que define o grid de largada para os pilotos. O rali começa a valer na sexta, com a saída em Goiânia, a partir de 12h. A chegada também será na cidade, no dia 3 de agosto, repetindo a prova de 2005. Disputarão o campeonato motos, quadriciclos, UTVs, carros e caminhões.

*O repórter viaja a convite da organização